Imprimir

Notícias / Cidades

Diretor se emociona e relembra com carinho de professor assassinado: 'coração partido'; veja

Da Redação - Gustavo Castro / Do Local - Luis Vinícius

Diretor do colégio Salesiano Santo Antônio, Rafael Schianevi, contou sobre os momentos de angústia e tristeza que assolou os alunos e professores da instiutição durante o período em que eles estavam sem notícias do professor Celso Gomes, de 60 anos, que foi encontrado morto, na última sexta-feira (10), em uma região de mata próximo a Lagoa Trevisan, em Cuiabá. Após uma semana, o profissional foi enterrado na tarde deste sábado (18).

Leia mais
Sob forte emoção, corpo de professor do Salesiano é enterrado em cemitério de Cuiabá; veja vídeo



O diretor que todos estão de coração partido com a morte de Celso, que ele classificou como um homem maravilhoso. 

"Sem dúvidas para nós foi uma perca muito grande. Foram mais de uma semana de muita angústia. Os alunos e professores se encontram com o coração partido. Muitos vieram aqui hoje para dar o último adeus para o Celso, um professor que honrou a camiseta, ensinou e honrou por 16 anos dentro da nossa casa. Nós estamos com o coração partido", disse.

"Celso já contempla do paraíso, e é com esse pensamento que nós vamos levando", acrescentou Rafael.

O diretor ainda compartilhou que os alunos da instituição ficaram muito sensíveis e aflitos durante o sumiço do professor e que professores, por muitas vezes, chegaram a interromper as aulas tomados pela emoção.

"A primeira semana foi muito difícil conter e ter aulas porque, realmente, muitas informações vinham por meio das mídias e muitas vezes não passavam pela família nem por nós, e os alunos recebiam as informações. Tivemos vários momentos em que tivemos que parar as aulas, principalmente os professores, por conta desta angústia", revelou.
 
Ele também contou do alívio de poder velar e enterrar o corpo do professor, principalmente após todo o período de espera.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Olhar Direto (@olhardiretooficial)



Enterro

Sob forte comoção o professor Celso Gomes, de 60 anos, foi enterrado no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá, na Capital, na tarde deste sábado (18). Familiares, amigos, colegas de trabalho e ex-alunos lotaram o espaço para o último adeus ao profissional.

O Olhar Direto acompanhou o enterro do professor. O corpo dele chegou ao cemitério por volta das 15h30, onde já era esperado por ex-alunos e familiares. Já na entrada, as pessoas, vestidos de roupas pretas, acompanharam o caixão até o jazigo.

Já em frente ao local, uma breve missa foi realizada. Depois, ex-alunos do professor ainda colocaram uma bandeira do Vasco, time do coração de Celso, como forma de homenageá-lo.

Relembre

Segundo os delegados Mauricio Maciel e Roberto Amorim, o professor ofereceu carona para um dos adolescentes e em um determinado momento, tiveram um desentendimento no carro. Com base nas declarações de um dos adolescentes, os delegados apontam que Celso teria tentado aliciar o garoto, que não gostou e saiu do carro.

O garoto disse ainda que percorreu alguns metros a pé e, após insistência da vítima, voltou a entrar no veículo.O adolescente contou para os delegados que o professor voltou a aliciá-lo, o que levou a aplicar um mata-leão na vítima, que perdeu os sentidos.Celso recuperou os sinais vitais,  o menor voltou a estrangulá-lo até a morte.

O garoto disse que matou o professor sozinho. Após matar o professor, o adolescente disse que levou o corpo sozinho para a região de mata próximo à rodovia. Os delegados alegaram que não acreditam nesta versão devido ao tamanho do professor. 

Dois adolescentes foram apreendidos e dois adultos presos pela morte do professor. Contudo, os maiores de idade foram liberados ainda na sexta-feira (10) por falta de provas. Os menores, por sua vez, estão internados em uma unidade socioeducativa. Eles foram indiciados por ato infracional análogo ao crime de homicídio.

 
Imprimir