Agro Olhar

Terça-feira, 26 de setembro de 2017

Notícias / Economia

Temperatura despenca em Chapada e alavanca comércio; neblina e gastronomia são atrativos

Da Redação – Vinicius Mendes / Da Reportagem Local - Fabiana Mendes

17 Jul 2017 - 18:20

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Temperatura despenca em Chapada e alavanca comércio; neblina e gastronomia são atrativos
A frente fria que chegou a Mato Grosso nesta segunda-feira (17) foi bem recebida pelos comerciantes do município de Chapada dos Guimarães (a 66 km de Cuiabá). Enquanto as ruas permanecem vazias, os funcionários de restaurantes percebem um aumento no movimento nos estabelecimentos durante os dias de frio.
 
Leia mais
Caetano Veloso e Milton Nascimento são atrações confirmadas no Festival de Inverno de Chapada; veja lista
 
As previsões do tempo para o município nesta segunda-feira (17) apontavam máxima de 18° e mínimas de 10°, de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) . Nesta terça, a previsão é de mínima de 2°.
 
Maria Paz, que trabalha em um restaurante no município, disse que o movimento eu seu estabelecimento aumenta porque as pessoas procuram um lugar aquecido.
 
“O nosso movimento aumenta sim, porque nós temos um salão todo fechado, então é bem aconchegante, na época do frio ele fica bem quentinho . Nós tivemos um bom movimento hoje, as pessoas que vem e procuram caldo, feijoada. No frio a venda de comidas com caldo sempre aumentam”, afirmou Maria.
 
Em outro restaurante, de comida regional, o garçom Anderson Martins disse perceber um aumento no número de clientes, principalmente da baixada cuiabana, em épocas de frio.
 
“No frio, hoje particularmente, procuramos montar o nosso cardápio com uma feijoada, além de outros pratos, porque a venda aumenta. Nesta temporada a Chapada dos Guimarães chega a encontrar pessoas do Brasil, e do mundo inteiro, mas o nosso forte mesmo é a baixada cuiabana, isso quando não está na temporada de férias, porque quando está aqui a gente encontra pessoas do mundo inteiro, de São Paulo, Minas Gerais, Bahia etc”, conta Anderson.
 
A expectativa dele é de que o fluxo seja ainda maior durante o Festival de Inverno.
 
Nas pousadas da cidade o movimento permanece o mesmo, com ou sem frio. No entanto, a expectativa também é de aumento durante o Festival de Inverno. Apesar do aumento de clientes turistas, o empresário Kellyton Mota Silva, que vende artesanato, notou que o fluxo de moradores de Chapada nos restaurantes, cai com o frio.
 
“Na época do frio é bem relativo, depende da época. Como agora é época de férias sempre é movimentado, mas o frio não é muito agradável para a população. Quando tem frio eles se afastam um pouco porque o clima aqui é muito úmido, o pessoal não costuma sair de casa”, disse.
 
A frente fria que chegou a Mato Grosso ainda deve continuar até a metade desta semana.
 
O crescimento no número de visitantes também é notado pelo poder público. O secretário Municipal de Turismo, Cultura e Meio Ambiente, Jorge Luiz Martins Defanti, afirmou que o frio e a neblina fazem com que o turismo da cidade fique mais movimentado.
 
“Aumenta em função não só do frio em si, mas é pelo cenário. Porque nós temos um cenário de neblina, frio e chuva, bem diferente do nosso cenário em geral no Mato Grosso, ou pelo menos aqui na baixada cuiabana. Esse é o grande atrativo, e isso traz a oportunidade da gastronomia focar em pratos diferenciados, que são os caldos e o fondue, que são muito populares nesta época”, disse o secretário.
 
O calendário de Chapada dos Guimarães já é pensado para a visita dos turistas no inverno. Três grandes eventos são realizados neste período.
 
“Nós temos a Feijoada de Inverno, que aconteceu no dia 14, 15 e 16, e foi um sucesso muito grande. No dia 15 começou os festejos de Santana, que é a festa mais importante da cidade, que vai do dia 15 ao 26. E tem também o Festival de Inverno que varia um pouco de ano pra ano e que este ano será do dia 28 de julho ao dia 6 de agosto”, contou Defanti.
 
O secretário também apontou que o principal público que visita Chapada nos dias de frio, vem da baixada cuiabana, mas nos eventos chegam a receber pessoas de todo o país.
 
“São principalmente aqui da baixada cuiabana. Muita gente de Cuiabá tem casa aqui, e vem passar as férias. Mas nos eventos vem muita gente de fora, aumenta muito. Nós temos uma população hoje na cidade de em torno de 12 mil pessoas, a gente espera aí mais ou menos o triplo disso para nestes dias de festival”, disse o secretário.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • El Cid
    18 Jul 2017 às 08:08

    ...pessoas do mundo inteiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, etc. Não seria de diversos estados brasileiros?

  • Mendonça
    17 Jul 2017 às 22:23

    Chapada é sempre muito legal.

  • SOLIVAN FONSECA
    17 Jul 2017 às 20:07

    Desta Terra que eu vim, desta que quem me criou e amou Chapada dos Guimarães... Minha terra natal, minha terra querida....Bela e charmosa coberta de neblina....

Sitevip Internet