Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de março de 2017

Notícias / Educação

MPF apura má qualidade de tablets comprados ao custo de R$ 1,6 mi e destinados a professores de MT

Da Redação - Patrícia Neves

28 Mai 2015 - 08:44

MPF apura má qualidade de tablets comprados ao custo de  R$ 1,6 mi e destinados a professores de MT
A má qualidade dos tabletes adquiridos para o Pacto pelo Fortalecimento do Ensino Médio e que custaram aos cofres públicos  a quantia de R$ 1.649,492,28 é alvo de inquérito civil público instaurado pelo Ministério Público Federal (MPF-MT), conforme determinação do procurador da República, Douglas Guilherme Fernandes.
 
Leia Mais:
Juiz mantém condenação de ex-secretário de Educação por fraude em compra de carteiras

No total, a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) adquiriu 5.460 aparelhos que já foram entregues a professores e coordenadores pedagógicos que atuam  no Estado. Mato Grosso aderiu ao projeto do governo federal em 2013 com objetivo de fomentar e rediscutir e atualizar as práticas docentes.
 
Conforme a Portaria 49/2015, inicialmente “o procedimento preparatório nº1.20.000.000785/2014-86 foi instaurado  para apurar as denúncias de má qualidade dos produtos adquiridos para utilização na rede estadual de ensino de Mato Grosso demonstram suposta a escolha dos produtos a serem adquiridos”.  A aquisição foi financiada por meio do  Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, do Governo Federal.
 
Segundo o procurador,  considerando a necessidade de mais informações acerca dos fatos, com respaldo no princípio constitucional do contraditório e da ampla defesa, permitindo uma atuação ministerial prudente em defesa de interesses indisponíveis ele resolveu converter o procedimento em inquérito.
 
Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) informou que o processo licitatório, assim como as especificidades para aquisição dos aparelhos,  foi elaborado pelo Ministério da Educação (MEC).

Ainda conforme assessoria, o Estado fez a adesão a ata de registro de preços que já disponibilizava as especificidades dos aparelhos.

A Secretaria de Estado de Mato Grosso pagou a quantia de R$ 319,697,08 por 692 aparelhos que foram destinados aos coordenadores do Pacto. Ainda para o programa, foram comprados outros 4.768 tablets  - ao custo de R$ 1.329,795,20 – que foram distribuídos aos professores. 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Mari
    28 Mai 2015 às 13:08

    E quanto tempo será que vai levar para concluir essa investigação? Os Inquéritos Civis do MPF levam anos para serem concluídos

  • ROBERTO
    28 Mai 2015 às 11:01

    O QUE DEVERIA ACONTECER SERIA UMA FISCALIZAÇÃO NA HORA DO RECEBIMENTO DESTES PRODUTOS, E RESPONSABILIZAR CIVIL E CRIMINALMENTE QUEM EFETUOU A COMPRA E QUEM RECEBEU O PRODUTO NO ORGAO.

  • joão
    28 Mai 2015 às 10:28

    esses tabelts devem ser uma porcaria, com um custo unitário de R$ 278,90 não deve ser boa coisa.

  • ELI ROCHA
    28 Mai 2015 às 10:25

    Marco, você falou tudo, meu camarada. Parabéns!

  • eleitora
    28 Mai 2015 às 10:06

    acho sim importante valorizar importante dar condições aos professores mais vejo essa compra um mal necessario pois as reformas as condições das escolas sem salas adequadas para um bom funcionamento para que professores/alunos possam ter qualidade então antes destas compras poderiam fazer um planejamento de reformas nas escolas/creches pode ter certeza que a população ficaria agradecida.

  • Marco
    28 Mai 2015 às 09:04

    Eu fui funcionario publico por muitos anos, pois o que mais me deixa absmado com o poder publico é o motivo que o MPF e outros fiscalizadores não fazem o mesmo com os orgaos como exemplo o TJ, MP, TCE, pois todas suas fiscalizacoes é só em cima dos pequenos, e quanto aos tablets fica a minha pergunta, quando compra pode escolher marca ?

Sitevip Internet