Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 09 de abril de 2020

Notícias / Emprego

Desemprego no País chega a 8,7% e salário médio cai para R$ 1.882

Do R7

29 Out 2015 - 10:38

O desemprego no Brasil voltou a subir, de acordo com a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), que avalia a taxa de desocupação em todo o País. Os dados divulgados nesta quinta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que o desemprego chegou a 8,7% no trimestre encerrado em agosto deste ano.

Foi a maior taxa de desocupação da série, iniciada em 2012. O resultado é superior ao do trimestre encerrado em maio (8,1%) e, também, a do mesmo trimestre do ano anterior (6,9%).

Com isso, a população desocupada chegou a 8,8 milhões de pessoas e teve um crescimento de 7,9% (mais 647 mil pessoas) em relação ao trimestre de março a maio e subiu 29,6% (mais 2 milhões de pessoas) no confronto com igual trimestre de 2014.

Já a população ocupada (92,1 milhões de pessoas) ficou estável em ambas as comparações. O número de empregados com carteira assinada recuou 1,2% (menos 425 mil pessoas) frente ao trimestre de março a maio e caiu 3,0% (menos 1,1 milhão de pessoas) frente a igual trimestre de 2014.

Renda

O rendimento médio real habitualmente recebido (R$ 1.882) recuou 1,1% frente ao trimestre de março a maio (R$ 1.904) e ficou estatisticamente estável em relação ao mesmo trimestre de 2014 (R$ 1.864).

Frente ao trimestre de março a maio de 2015, os trabalhadores domésticos tiveram redução em seus rendimentos (-2,7%), assim como os empregados no setor privado com carteira de trabalho (-1,8%). Já frente ao trimestre de junho a agosto de 2014 todas as categorias de posição na ocupação mantiveram estabilidade em seus rendimentos.

A massa de rendimento médio real habitualmente recebida para o trimestre encerrado em agosto (R$ 167,8 bilhões) caiu 1,1% frente ao trimestre móvel anterior e ficou estável em relação ao mesmo trimestre de 2014.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet