Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 16 de abril de 2021

Notícias / Energia

energia mais cara

Valor final da conta de luz corresponde a 80% das reclamações, diz Energisa

Da Redação - Viviane Petroli

07 Dez 2015 - 09:15

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Valor final da conta de luz corresponde a 80% das reclamações, diz Energisa
O valor final da conta de luz corresponde a 80% das reclamações relacionadas à energia elétrica em Mato Grosso. A afirmação é da concessionária Energisa, uma vez que os consumidores estariam insatisfeitos com o valor, principalmente desde março quando a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reajustou em média 26,8% em Mato Grosso a Revisão Tarifária Extraordinária. A vigência da bandeira tarifária vermelha é outro ponto que tem elevado à fatura. Alguns consumidores revelam ter sentido acréscimos em média de 50% na conta de luz.

Em novembro a energia elétrica correspondeu a 16,9% dos 2.902 atendimentos totais registrados no Procon Estadual, ou seja, 493 reclamações. Novembro, de acordo com a Energisa, foi um mês atípico devido o calor excessivo e a participação da concessionária durante oito dias Mutirão Limpa Nome SPC, realizado entre os dias 23 e 29 de novembro.

De acordo com a Energisa, as reclamações na concessionária ampliaram após março. A alegação são os reajustes tarifários aplicados pela Aneel, principalmente a Revisão Tarifária Extraordinária, ocorrida em março. Em Mato Grosso o impacto desta revisão foi de 26,8%, além da bandeira vermelha presente desde janeiro na conta.

Leia mais:
Energisa investe mais de R$ 56 milhões em Mato Grosso devido 'El Niño'

A Energisa afirma que 100% das reclamações recebidas são analisadas e respondidas. Destas cerca de 95% são consideradas improcedentes e apenas 5% procedentes. A coordenadora de Atendimento ao Cliente da Energisa Mato Grosso, Márcia Panato, explica que o aumento das reclamações possui relação direta com o aumento da tarifa, realizado em março pela Aneel, além do recente aumento do consumo em decorrência a forte onda de calor desde setembro.

“Quase 80% das reclamações que chegam à Energisa são sobre o valor da fatura. Em muitos casos, o cliente até já conseguiu reduzir o consumo, mas isso não se reflete de forma proporcional na conta, em função do aumento da tarifa e das bandeiras”, diz Panato.

A Energisa esclarece ainda que o aumento sentido foi integralmente destinado ao pagamento da geração de energia elétrica, pois a mesma ficou mais cara em função ao acionamento de mais termelétricas para suprir a demanda energética e devido aos encargos setoriais do governo federal.

Tais reajustes anunciados pela Aneel fizeram com que a redução de 2,2% no valor da tarifa da energia elétrica, em relação ao ano passado, não fosse sentido pelos mato-grossenses. Um decréscimo de R$ 0,47573/kWh para R$ 0,46511/kWh.

“Não houve ajuste no valor que fica com a distribuidora de energia”, salienta o gerente do Departamento de Serviços Comerciais da Energisa Mato Grosso, Oscar Cezar Fernandes Neto, sobre os reajustes tarifários aplicados pela Aneel.

Ampliação de frentes de trabalho

Conforme a Energisa, a empresa ampliou as frentes de atendimento aos órgãos de defesa do consumidor em Mato Grosso (Procons municipais e estadual). A concessionária revela que os Procons possuem acesso direto a linhas telefônicas exclusivas para o contato com profissionais da Energisa aptos a analisar as demandas dos clientes.

Além disso, constantes mutirões de análise de processos e atendimentos são realizados, como o Mutirão Limpa Nome SPC. Os órgãos de defesa do consumidor no Brasil têm um papel importantíssimo e uma atuação intensa em todas as áreas, o que garante justiça nas relações de consumo”, defende a coordenadora de Atendimento ao Cliente da Energisa Mato Grosso, Márcia Panato.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet