Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 20 de maio de 2019

Notícias / Geral

Agro + vira modelo de gestão para outros ministérios

Da Redação - Patrícia Neves

18 Ago 2018 - 09:57

Foto: Mapa

Agro + vira modelo de gestão para outros ministérios
O programa Agro+ do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), iniciativa do ministro Blairo Maggi, que visa a desburocratização e modernização do setor agropecuário, está sendo seguido por outros ministérios, a pedido do Presidente Michel Temer.

 A iniciativa do Ministério de implantar um Plano para dinamizar o setor agropecuário foi bem recebido pelo Governo Federal. O sucesso foi tanto que o Presidente e o Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, decidiram adaptar a ideia desenvolvida no Mapa para outros ministérios destravarem processos de atendimento aos pleitos da população brasileira.

 O Governo Federal colocou esses programas desenvolvidos nos demais ministérios sob o guarda-chuva do Brasil Eficiente. O programa é coordenado pela Casa Civil e visa a melhora da prestação de serviços ao cidadão. A iniciativa já conta com mais de 200 medidas de desburocratização. A integração do banco de dados dos brasileiros para melhorar a prestação de serviços e a redução da burocracia estão entre os programas desenvolvidos.

Leia Mais:
Plano Agro + foi criado para atender as demandas do setor produtivo
Plano para reduzir burocracia no agronegócio já resolveu mais de 900 demandas do setor produtivo


“Depois que o Blairo fez, reuni os ministros para que fizessem o mesmo”, disse o presidente Michel Temer que destacou a importância do agronegócio para a economia brasileira. “É a força motriz da economia”, enfatizou. Temer destacou a importância da iniciativa do Mapa ao desenvolver um Plano de modernização e desburocratização para um segmento que cuida do ambiente “mantém preservados 66% do território nacional”.

O presidente ainda elogiou as Missões Internacionais realizadas pelo Mapa “na divulgação da agricultura brasileira” que integram as ações do Agro +. Desde que Maggi assumiu a pasta da agricultura, ele e o Secretário Executivo, Eumar Novacki, lideraram 30 missões internacionais e estiveram em 33 países diferentes com o objetivo de criar e expandir as oportunidades de comércio, investimentos e cooperação do agro brasileiro no ambiente internacional. Além das Missões Internacionais, o Mapa teve participação em inúmeras feiras internacionais de alimentos e bebidas, tendo como objetivo o aumento, a diversificação e a inserção de empresas e produtos alimentícios do agronegócio brasileiro no mercado internacional.

Plano continua crescendo

O Plano Agro + continua se desenvolvendo entre as entidades do agronegócio e dentro do ministério, além de influenciar outras pastas a adotarem o plano de desburocratização e modernização da administração pública.

Hoje o Agro + conta com cerca de 190 entidades do agronegócio entre seus apoiadores, dentre os quais estão algumas das mais representativas do segmento como a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

O presidente da ABPA, Francisco Turra, disse que existe uma grande motivação dos seus associados pelo Plano Agro +, devido a transparência, boas práticas e solução de problemas que ele traz. “Queremos aderir cada dia com mais intensidade a essa iniciativa do Mapa”.

A adesão dos estados brasileiros ao Plano começou pelo Rio Grande do Sul e foi seguido por São Paulo. Hoje o Agro + tem apoios estaduais nas cinco regiões do país. Isso foi possível graças ao Mapa que criou uma cartilha de orientação para a adesão dos estados, com um roteiro de ações a serem seguidas para dar conformidade ao Plano.

“As regras precisam ser ajustadas para estados para que a flexibilização feita pelo governo dê resultado”, enfatizou o ministro, acrescentando que a reprodução do modelo demonstra tratar-se de uma política consistente.

 
Sitevip Internet