Olhar Agro & Negócios

Sábado, 16 de novembro de 2019

Notícias / Agricultura

Agro + gera plano de transparência

Da Redação - Lucas Bólico

25 Ago 2018 - 10:00

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Agro + gera plano de transparência
O presidente Michel Temer e o Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, lançaram em dezembro de 2017 o selo Agro + Integridade e firmaram o Pacto pela Integridade com empresas e entidades do agronegócio. A iniciava do selo foi um desdobramento do Plano Agro +.

Leia também:
Agro + vira modelo de gestão para outros ministérios
Plano Agro + foi criado para atender as demandas do setor produtivo


O selo Agro + Integridade é o prêmio de reconhecimento às empresas que adotam práticas de governança e gestão capazes de evitar desvios de conduta e de fazer cumprir a legislação, em especial, a Lei Anticorrupção (Lei 12.846, de 1º de agosto de 2013).

O Pacto pela Integridade representa compromisso na implementação de políticas internas, procedimentos e regras (compliance) anticorrupção. O pacto visa ainda o envolvimento de toda a sociedade a fim de que atos ilícitos sejam impedidos e repudiados por todos; não só pela autoridade pública.

O ministro Blairo Maggi destacou tratar-se de “instrumento novo de gestão, que abre cada vez mais o mercado do Brasil para que seja reconhecido pela sua agricultura e pela sua pecuária, pelo desenvolvimento na área da pesquisa nesses setores”.

Integridade no Mapa

O Mapa foi o primeiro ministério a implementar um programa alinhado ao Programa de Fomento à Integridade do Governo Federal (Profip). Com a medida, melhoraram os processos internos voltados para o tema integridade e fundamentou-se essa cultura no Ministério.

A participação de empresas e entidades - o que está sendo incentivado com o selo -, passa a ser imprescindível para a disseminação de uma nova ética concorrencial no ambiente do agronegócio.

Um Comitê Gestor do selo Agro + Integridade foi instituído com a função de homologar a relação nominal de premiação das empresas. O Comitê é formado por representantes do Mapa, Embrapa, Instituto Ethos, Controladoria Geral da União (CGU), Alliance For Integrity, Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), B3 - Brasil Bolsa Balcão e Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“O que se busca é a mudança de cultura no setor. O mundo clama por ética, por integridade. Os clientes estão cada vez mais exigentes e as empresas precisam se adequar. A empresa premiada com este selo contará com um diferencial importante em seus produtos e serviços. Estou certo de que, no futuro, o Agro + Integridade será um requisito para todos que quiserem se destacar”, disse o Secretário Executivo do Mapa, Eumar Novacki.

A empresa do agronegócio premiada poderá usar o selo Agro + Integridade, anualmente, nos seus produtos, sites comerciais, propagandas, publicações e outros usos que estimulem à ética e a correção.

Requisitos 

A empresa ou a entidade precisa comprovar que adota programa de compliance específico com código de ética e conduta, que possui canais de denúncia e realiza treinamentos voltados para mudança da cultura organizacional e, ainda, que atua com responsabilidade social e ambiental.

Na comprovação de ações de responsabilidade social, a empresa precisa estar atualizada com suas obrigações trabalhistas, o que inclui: certidão de regularidade de FGTS; certidão negativa do INSS e de débitos trabalhistas; nada consta de multas decorrentes de infrações trabalhistas ocorridas nos últimos 12 meses, além de não constar na lista suja do trabalho escravo e infantil, ou em situação análoga, no Ministério do Trabalho.

Também não pode constar da lista de estabelecimentos que incorreram em adulteração ou falsificação comprovadas em processos com trânsito em julgado no âmbito administrativo, gerenciada pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa.

Ações de responsabilidade ambiental devem ser comprovadas pela: implantação de programa com foco ambiental, com ações efetivas de boas práticas agrícolas e enquadramento nas diretrizes do Programa ABC (de redução na emissão de gás carbônico) ou em uma das metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU. É necessário também o nada consta da Justiça Federal em relação a crimes ambientais e de multas decorrentes de infrações ambientais, pelo Ibama, relativo aos últimos 12 meses.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Darcy walmor Zibetti
    26 Ago 2018 às 10:49

    Oselo agro integridade,sem sombra de dúvida, é um estimulo para a prática da honestidade e da ética.O consumidor não só merece comotem direito de adquirir um produto sadio e de qualidad,especialmente para a alimentação.

  • Patriota
    26 Ago 2018 às 04:05

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • João Campos
    25 Ago 2018 às 19:27

    Esse Plano Agro deveria servir de exemplo para todo órgão público. Tudo que a sociedade espera é ética e correção.

  • Pítico
    25 Ago 2018 às 12:50

    Vdd , ao mídia ! Resultado prático nada. Bum bum qual o nome do botox que vce usa ????????

  • Patricio
    25 Ago 2018 às 12:47

    Dr bum ?? bum ?? Caldinho ! Matéria reqentada Todo fds a mesma coisa !

Sitevip Internet