Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 08 de agosto de 2022

Notícias | Geral

AGRO OLHAR EXPLICA

Entenda a redução no preço do etanol nas bombas em Mato Grosso

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Entenda a redução no preço do etanol nas bombas em Mato Grosso
Aqueles que abasteceram seus veículos na última semana em Cuiabá, puderam perceber diminuição significativa no preço do litro do etanol sendo vendido nos postos de combustível. Em algumas bombas, a queda chegou à R$ 0,81 em relação ao preço mínimo de R$ 4,70 registrado entre os dias 19 e 25 de junho. A baixa nos valores aconteceu em 16 estados no país, segundo levantamento da Agencia Nacional de Petróleo (ANP). Mas por que os preços diminuíram? Conforme o Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool (Sindalcool-MT), houve queda no preço da usina, o que influenciou diretamente no valor final.

Leia mais: 
Mato Grosso encerra 1º semestre com mais de R$ 20 bilhões arrecadados em impostos, taxas e contribuições
 
Além disso, no dia 23 de junho foi sancionada a pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, a Lei Complementar 194/2022 que zerou a cobrança de Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) do combustível. Isso causou redução imediata em mais de R$ 0,20 nas bombas.
 
Importante lembrar que, embora a redução já tenha sido exercida nos postos e a diminuição colocada nas bombas, a Lei Complementar tem validade até dia 31 de dezembro de 2022 e depois desse período, as cobranças serão retomadas no PIS/Cofins.
 
Por fim, o Sindicato pontuou que “Com relação ao ICMS do combustível ainda não tem definição, já que os estados ainda estão em processo de análise interna sobre esta questão, com relação a forma como a medida será aplicada. Portanto, esse quesito ainda não impactou no preço do etanol”.
 
Outro fator a se destacar é a produção do etanol em Mato Grosso que, conforme levantamento do sindicato, é o 7º maior produtor do combustível no país, ficando atrás apenas de Goiás e São Paulo.
 
Em 2021, as indústrias geraram 4,07 bilhões de litros. Há previsão, conforme o setor, de crescimento maior que 13% entre 2022 e 2023, podendo chegar a 4,61 bilhões de litros.
 
Levantamento da ANP
 
Segundo levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP) entre os dias 19 e 25 de junho, o preço médio em Mato Grosso foi de R$ 4,493 e em Cuiabá, de R$ 4,343. Na semana anterior, de 12 à 18 de junho, a média foi de R$ 4,629 no estado e de R$ 4,548 na capital.

(Sindalcool)
 
Na última terça-feira (28),  a reportagem registrou que um posto localizado na avenida do CPA, em Cuiabá, está comercializando o litro por R$ 3,89 - o que representa queda de R$ 0,81 levando em consideração o valor mínimo de R$ 4,070 registrado na semana do dia 25 de junho.
 
Entre os dias 29 de maio e 25 de junho, a agência pesquisou os valores vendidos pelo litro do Etanol em 288 postos de combustíveis da capital. No período, o preço máximo variou entre R$ 4,99 e R$ 4,590 que foi registrado na semana do dia 25.
 
O mínimo oscilou entre R$ 4,470 até o menor de R$ 4,070. O valor médio ficou entre R$ 4,940 e R$ 4,343. No mesmo período, a ANP visitou 627 postos em Mato Grosso e levantou que o preço máximo pelo litro variou entre R$ 5,800 e R$ 5,290.
 
Levando em conta os preços mínimos, a variação ficou entre R$ 4,250 e R$ 4,030 na semana do dia 25 de junho. A média ficou entre R$ 4,904 e R$ 4,493.
 
Mato Grosso e a produção de Etanol
 
O estado de Mato Grosso teve aumento na produção do etanol de milho de 384,5% nos últimos 10 anos, conforme dados divulgados pelo sindicato. Em 2021, as indústrias geraram 4,07 bilhões de litros. Há previsão, conforme o setor, de crescimento maior que 13% entre 2022 e 2023, podendo chegar a 4,61 bilhões de litros.


 (Foto: Unem)
O estado começou a produzir o etanol de milho em 2013 e conseguiu igualar a produção do combustível produzido pela cana em 2019. A partir de então, a fabricação pelo milho se tornou majoritária.
 
Com o crescimento na produção e consequente mudança na industrialização do setor sucroenergético, Mato Grosso saiu da 7ª colocação do ranking nacional dos fabricadores de etanol, para 3ª lugar, atrás de Goiás (2ª posição) e São Paulo, na 1ª.
 
O valor agregado à produção também agrega a outros produtos, como ração animal, óleos, e demais derivados do milho. Somente em duas das usinas localizadas no norte do estado produzem aproximadamente 1,5 bilhão de litros de etanol de milho.
 
O grão do cereal passa por processo de fermentação e destilação para se transformar em etanol. Nas usinas, tudo se aproveita, fazendo do milho ração para alimentar animais, óleos, entre outros.
 
Nas usinas, o milho vira ainda energia para fazer os motores funcionarem - a principal fonte é a queima da biomassa a partir de eucaliptos cultivados pelos produtores.
 
De acordo com o último levantamento feito pelo Sindalcool, em 2021, a maioria do etanol produzido em Mato Grosso tem como destino São Paulo e, em seguida, o próprio estado.
 
 
 
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet