Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 01 de outubro de 2020

Notícias / Geral

Governo libera R$ 330 mi para apoiar comercialização de trigo

Agência Brasil

18 Ago 2012 - 18:10

Foto: Reprodução

Nos leilões de subvenção econômica serão utilizados os dois principais instrumentos de apoio à comercialização

Nos leilões de subvenção econômica serão utilizados os dois principais instrumentos de apoio à comercialização

Portaria interministerial da Agricultura, Fazenda e Planejamento, divulgada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União (DOU), destina R$ 330 milhões para que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realize leilões públicos de equalização dos preços do trigo, a fim de assegurar ao produtor rural pelo menos o recebimento do preço mínimo de garantia no escoamento da safra.

Nos leilões de subvenção econômica serão utilizados os dois principais instrumentos de apoio à comercialização. Um deles é o Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), que cobre a diferença entre o preço de mercado e o mínimo de garantia. O outro é o Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), que subsidia o frete para a retirada da mercadoria das regiões de produção. Dos leilões de Pepro podem participar os produtores rurais e suas cooperativas. Os leilões de PEP são destinados aos moinhos e comerciantes de cereais;

Na safra passada, o governo gastou R$ 375 milhões para apoiar a comercialização de 2,126 milhões de toneladas de trigo, volume correspondente a 36,7% da safra, estimada em 5,788 milhões toneladas. Nos leilões de prêmios foram aplicados R$ 158,3 milhões, que permitiram o escoamento de 1,594 milhão de tonelada de trigo.

Nas compras diretas do cereal junto ao agricultor e cooperativas, por meio das operações de Aquisição de Governo Federal (AGF), foram gastos R$ 212,4 milhões, que implicou incorporação de 445,7 milhões de toneladas de trigo aos estoques oficiais. Estas operações estão incorporadas ao orçamento e não dependem de portaria interministerial.

A colheita do trigo começa no fim deste mês no Paraná e a produção nacional deve ser a menor dos últimos três anos, segundo estimativa da Conab, que prevê uma safra de 5,323 milhões de toneladas, volume 407,4 mil toneladas (-7,4%) inferior ao colhido no ano passado. A queda se deve à redução de 277,3 mil hectares (-26,6%) na área cultivada pelos agricultores paranaenses, que nesta safra apostaram também no cultivo do milho safrinha. A área total de trigo recuou 242,4 mil hectares (-11,8%) para 1,889 milhão de hectares.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet