Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Santa Casa pede ajuda para manter mais de 280 leitos e honrar dívidas de R$ 30 milhões

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

11 Mai 2017 - 15:02

Foto: Maurício Barbant / ALMT

Telma Ribeiro Preza destacou que a Santa Casa sempre ajudou e, agora, necessita de ajuda

Telma Ribeiro Preza destacou que a Santa Casa sempre ajudou e, agora, necessita de ajuda

Principal unidade filantrópica de saúde de Mato Grosso, a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá pede auxílio da população para que consiga fazer frente às despesas e, de quebra, ainda pagar mais de R$ 30 milhões em dívidas. O quadro foi apresentado na Câmara de Cuiabá pela coordenadora de Ações e Projetos da Santa Casa, Telma Maria Ribeiro Preza, ao enfatizar que a instituição chega repaginada e com projeção de aumento de leitos, mas com grave problema financeiro.
 
Atualmente, a Santa Casa possui quase 280 leitos, sendo 34 destinados às Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), e projeta ao menos 350 para o próximo ano. Isso porque são realizadas 12 mil cirurgias por ano – cerca de 50 por dia – o que exige o aumento de leitos.

Leia Mais:
- Santa Casa de Cuiabá faz mutirão de cirurgias gratuitas para tratamento de hérnia

- Lucro dos shows de Daniel vão para a Santa Casa e o Hospital de Câncer; cantor toca com a Orquestra
 
“A Santa Casa é uma instituição católica de cunho beneficente e filantrópico. Por isso é importante mostrar o trabalho realizado da Santa Casa. É essencial contar nossa história de 200 anos. Dizer [aos jovens] quem esteve presente na crise da varíola [1887] e nunca fechou as suas portas”, citou Telma Preza.
 
A Santa Casa conseguiu Refinanciamento Fiscal (Refis) de dívidas com a União, principalmente Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e Fundo de Garantia Por tempo de Serviço (FGTS), que consomem cerca de R$ 400 mil mensais. E está discutindo a rolagem da dívida com a Cemat Energisa, que compõem a maior parte da dívida de R$ 30 milhões.
 
Início de tudo é vínculo maior – célula é a família. Cada um tem sua vocação e suas necessidades, por isso a Câmara de Cuiabá. Contar nossa história de 200 anos. Esteve presente na crise da varíola e nunca fechou as suas portas.
 
“A Santa Casa sempre serviu à sociedade e deseja continuar servido, mas precisa de ajuda. Sempre buscamos servir à quem precisa. Atender aos doentes. Buscamos melhorar e ampliar os nossos serviços”, afirmou ela.
 
Entre os principais projetos, em que empresas podem auxiliar a Santa Casa de Misericórdia, está o ‘Ótima Enfermaria’. A empresa assume o apadrinhamento e banca a reforma de uma enfermaria destinada ao Sistema Único de Saúde (SUS). “É preciso que recebamos ajuda, porque a Santa Casa atende pessoas não somente de Cuiabá e Várzea Grande, mas de outros estados, como Rondônia e Roraima, e até da Bolívia”, sintetizou Telma Preza.
 
Autor do requerimento, o vereador  Felipe Wellaton (PV) afirmou que Saúde é prioridade. “Hospitais filantrópicos, como a Santa Casa, não podem ficar om pires nas mãos. Saúde é pra ontem; não espera! A Prefeitura de Cuiabá já antecipou o pagamento do repasse estadual e, depois, será negociado com o governo do Estado. Estamos cobrando os repasses e fazendo a mesma cobrança com o governo de Mato Grosso”, pontuou Wellaton.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Alencar
    12 Mai 2017 às 07:14

    Pois é com uma dúvida dessa, ainda pagam salário exorbitantes a certas pessoas.

  • Didi Master
    12 Mai 2017 às 06:41

    Hoje em Cuiabá temos 03 hospitais na mesma situação que a Santa Casa, sendo eles o HGU, Hospital de Câncer e Santa Helena e todos necessitam de auxilio emergencial para quitarem seus compromissos financeiros, pois possuem um passivo enorme por conta da defasagem da tabela SUS.

  • observador
    11 Mai 2017 às 17:43

    Filantrópico??? Recebe pelos atendimentos como qualquer outro hospital

  • Ademir
    11 Mai 2017 às 16:55

    Porque não pensar em um projeto de aproveitamento da energia solar, e ser uma das reduções da dívida com a ENERGISA, fazer com que vários projetos mesmo precisando de recursos, mas que tenha resposta mais a frente, isso é planejamento, e claro como entidades filantrópica conseguir isenções diversas via Assembléia Legislativa.

  • FPG
    11 Mai 2017 às 16:03

    Toma tudo da turma do Silval,Pedro, De Cursi e companhia ltda. e reverte para saúde de nosso estado, onde os que custearam a roubalheira são os que mais precisam.

  • Carlos Nunes
    11 Mai 2017 às 16:01

    Ih! Tem que avisar a Santa Casa, e todos os hospitais filantrópicos de MT...que agora vai piorar ainda mais. Brevemente a PRIORIDADE NÚMERO UM desse Governo vai ser...o VLT. Saúde só se sobrar dinheiro. Os diversos sites da Capital informaram que, só na Construção, as Prefeituras de Cuiabá e VG darão isenção fiscal pro VLT de 200 MILHÕES DE REAIS. Depois de ficar pronto, o VLT dará prejuízo mensal, durante 15 anos, de 6 Milhões de reais, que será coberto pelo Estado, mais a isenção das Prefeituras. Essa estória triste é repetida, quando estavam construindo as Obras da Copa, o Silval cortou a verba da Saúde pros municípios em 50%, pra sobrar dinheiro pras obras, que foi somente restabelecida mais tarde. VLT vai ganhar da Saúde mais um vez. Não entendo bulhufas porque vão fazer o VLT, se já sabem que, durante 15 anos, dará prejuízo milionário? A única explicação é que todos "ELES" tem plano de Saúde milionários e não são clientes do SUS. SUS é só pra pobre...e como o Datena diz: pobre só é importante na hora do voto. Será que é isso?

  • Reghis do Carmo
    11 Mai 2017 às 15:48

    Sugiro que divulguem a forma como os empresários ou pessoas da sociedade civil, podem ajudar a nossa SANTA CASA. De repente muitos que estão alheios aos fatos, poderiam se dispor a dar sua parcela de ajuda.