Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Notícias / Cidades

Filhos investigam assassinato da mãe e denunciam pai 37 anos após o crime

Da Redação - Thaís Fávaro

21 Ago 2019 - 17:40

Foto: Assessoria

Filhos investigam assassinato da mãe e denunciam pai 37 anos após o crime
Seis irmãos denunciaram o pai de 78 anos como sendo autor do assassinato da mãe, Pierina Carroro, ocorrido em 25 de janeiro de 1982, há 37 anos, no Estado de Santa Catarina. Eles investigaram o crime por conta própria e concluíram que a motivação teria sido o fato de o suspeito não aceitar o divórcio. O homem acabou confessando o crime para os filhos. Atualmente o suspeito é casado e mora em Lucas do Rio Verde (335 Km de Cuiabá) com a nova esposa.
 
Leia mais
Mulher e ex-marido são presos acusados de matar homem por ciúmes 

De acordo com a Polícia Judiciária Civil, a princípio a família descobriu o crime após investigar por conta própria nos últimos três meses, o que de fato teria acontecido com a vítima. Ao ser questionado, o suspeito confessou a autoria do crime. Eles entregaram os documentos levantados durante esse período na delegacia e registraram o boletim de ocorrência na quarta-feira (20).

Um dos filhos, que não teve o nome divulgado, afirma que a família vive abalada desde o dia do crime e que sempre desconfiou da versão contada pelo pai, de que a vítima teria sido morta em um assalto.

“Rumores sempre tiveram só que só agora é que a gente começou a fazer esse levantamento com pessoas da época para chegar onde chegou. A gente sempre desconfiava que não era o que ele contava, então depois de muitos anos nós reunimos e decidimos por nossa conta fazer um relato dos fatos”, contou.

Eles acreditam que o crime possa ter sido por motivos passionais, uma vez que a vítima teria pedido o divórcio e o suspeito não aceitou o fim do relacionamento. Atualmente o homem e sua nova esposa morar em Lucas do Rio Verde.

Ainda segundo a PJC, trata-se de um crime de homicídio, porém foi prescrito, pois não houve ocultação de cadáver. A Polícia Civil acompanha o caso.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet