Olhar Direto

Terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Notícias / Política MT

Servidores repudiam proposta do governo que pode aumentar em 250% cobrança sobre salário

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

13 Dez 2019 - 14:20

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Servidores prometem mobilização contra proposta do governo

Servidores prometem mobilização contra proposta do governo

A polêmica proposta do governador Mauro Mendes (DEM) aprovada pelo Conselho de Previdência e encaminhada para a Assembleia Legislativa foi repudiada pelos servidores públicos, que já prometem se mobilizar para que os deputados estaduais façam mudanças no texto.

Leia também
Aumento na alíquota previdenciária de 11% para 14% é aprovado por conselho e segue para AL


O projeto de Lei Complementar, que a princípio mudará de imediato a alíquota previdenciária de 11% par 14%, também modificará a formula do cálculo, reduzindo o teto do INSS, que hoje é de R$ 5.834 para o salário mínimo (R$ 998). Na prática, o servidor terá duas reduções em seu salário, que em alguns casos podem chegar a 250%.

Em um vídeo ilustrativo publicado pela Associação dos Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Adunemat), os servidores usam um exemplo de um servidor aposentado que atualmente ganha R$ 10 mil e paga R$ 458 para previdência. Com a mudança, o funcionário público terá descontado de seu salário cerca de R$ 1,260.

Já os servidores em atividade serão taxados em 14% dos seus salários, ou seja, se ele ganha R$ 10 mil, deixará de receber R$ 1,4 mil.   

“Hoje, com este projeto que foi encaminhado para a Assembleia Legislativa, vai se descontar 14% dos salários atuais dos aposentados, daqueles que excederam um salário mínimo. Ou seja, se o cara ganha R$ 6 mil, o salário mínimo hoje está em R$ 998, ele vai descontar agora 14% sobre R$ 5 mil”, explicou o sindicalista Antônio Wagner, que convocou a classe para pressionar os deputados estaduais.

“O cenário é catastrófico e precisamos nos mobilizar rapidamente para combater estas perdas que advém com este aumento de alíquota para todos os servidores. Foi uma derrota dupla para todos trabalhadores do serviço público do Estado. Precisamos ficar atento, pois agora isso será discutido na Assembleia Legislativa e precisamos nos mobilizar, independente se o servidor voltou para presidente A, B ou C. Este é um momento de união”, afirmou.

O Conselho de Previdência de Mato Grosso aprovou no início da semana a proposta que irá atingir os servidores públicos do Executivo, do Legislativo, do Judiciário, do Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensoria Pública.

As demais regras da Reforma da Previdência Estadual vão continuar sendo discutidas pelos conselheiros, que já marcaram uma reunião na próxima segunda-feira (16).

Uma audiência pública também já foi convocada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP) para debater a proposta para o custeio do sistema previdenciário do Estado.

 

24 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Naly Soares de Carvalho
    16 Dez 2019 às 19:35

    Repúdio. . A mais um ato q agrva e acelera a desigualdade social.neste país onde o desemprego é alarmante

  • Alemão do CPA
    14 Dez 2019 às 17:54

    Parabéns governador. Serviço público deve ser extinto. Ganham muito e não trabalham.

  • Jordan Sali
    14 Dez 2019 às 17:54

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • .
    14 Dez 2019 às 16:27

    Agora os servidores bolsonaristas convictos façam arminha com a mão na hora de olhar o holerite. Esse governador desalmado faz essas lambanças porque está calçado por esse presidente.

  • Nilza
    14 Dez 2019 às 11:23

    SENHORES DEPUTADOS OS SERVIDORES TAMBÉM VOTAM, NÃO ADIANTA DE NADA AUMENTAR A ALÍQUOTA NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA DE MT. EM 14% SE NÃO DER UM BASTA NOS POLÍTICOS CORRUPTOS QUE ROUBARAM E CONTINUA ROUBANDO O MT PREV., E AÍ QUEM TEM DE PAGAR O ROMBO É O SERVIDOR PÚBLICO.

  • Falemos
    14 Dez 2019 às 11:21

    A população precisa entender melhor antes de falar qualquer coisa. Prega-se que o servidor público contribui pouco e deveria contribuir como na iniciativa privada. Porém, enquanto um trabalhador da rede privada possui alíquotas escalonadas conforme o salário que vai de 8% a 11% sobre o salário, todos os trabalhadores servidores públicos têm descontado 11% de seu subsídio sem choro nem vela. O subsídio do servidor cai em sua conta com todos os descontos possíveis. A reforma aumenta para 14% a alíquota de contribuição previdenciária, é isso que vocês querem também? Falam que servidor aposenta cedo, mas só aposenta se tiver 25 a 35 anos de contribuição ou até mais, conforme o cargo e o sexo (eu, por exemplo, vou aposentar com mais de 45 anos de contribuição porque entrei cedo no serviço público, com 18 anos), já na iniciativa privada o tempo mínimo de contribuição para aposentadoria é de 15 anos. É muito fácil falar que o servidor deve pedir exoneração caso não queira ser assim cobrado, mas é isso que vocês estão pedindo? Igualdade entre servidor e a iniciativa privada? Tirando o teto da previdência, o servidor sairia ganhando caso a igualdade se estabelecesse porque teria alíquotas menores de desconto previdenciário e teria que trabalhar por menor período de tempo para se aposentar

  • Moacir
    14 Dez 2019 às 10:32

    O verdadeiro contribuinte não fica do lado de governador que afronta direito trabalhista. Que em um ano de governo não conseguiu inaugurar nada. Não começou nenhuma obra. É só calote em cima de calote. O verdadeiro contribuinte exige do governo posições sérias e honesta. Um governo que gasta horrores com os que lhe servem diretamente, (segurança e comissionados)que gasta horrores com viagens em jato . fretado. Dinheiro do povo.esses aqui, indignados com servidores, não são contribuinte de verdade. São os que nem sabem votar.

  • Jao do Porto
    14 Dez 2019 às 09:15

    Ta ai.....gostei..... Chegou a hora de vces.....

  • Revoltado
    14 Dez 2019 às 08:52

    É só nos da iniciativa privada que trabalhamos para pagar isto, marcar os deputados que fode com a população para garantir o privilégio de poucos

  • SÉRGIO ROBERTO
    14 Dez 2019 às 07:13

    Bem vindos à chuva, senhores(as) servidores (as) públicas de Mato Grosso!!!! Rapadura é doce, porém não é mole, somente com tratamento igualitário entre as classes profissionais que o estado irá sanar o déficit previdenciário que tanto mal tem feito as contas públicas precarizando a infraestrutura e inibindo o crescimento do país.

Sitevip Internet