Olhar Direto

Sábado, 22 de fevereiro de 2020

Notícias / Política MT

"Buzzeti não é filiada ao DEM", rebate Júlio sobre suposta ‘rasteira’ de Mauro em candidatura ao Senado

Da Redação - Érika Oliveira

20 Jan 2020 - 10:34

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

O ex-governador Júlio Campos (DEM) encaminhou um áudio para um grupo de WhatsApp no qual rebate comentários de que o governador Mauro Mendes (DEM) teria supostamente lhe passado a 'rasteira' ao posar para uma foto, no último final de semana, ao lado da empresária Margareth Buzzeti (PP) em tom de campanha. Campos é pré-candidato pelo Democratas ao Senado, na vaga da senadora cassada Selma Arruda (Pode).

Leia mais:
Blairo e Mauro Mendes posam ao lado de empresária em clima de campanha: 'nossa senadora'

“Os Campos não foram a roldo, não! Esqueça! Se nós quisermos, o diretório regional do DEM escolherá um candidato e tem que ser do partido. A senhora Buzzeti não é filiada ao DEM e nem tem nada com o nosso partido, ela é do PP, partido de Blairo. Se o governador Mauro quiser apoiar um candidato do PP, está liberado!”, respondeu Júlio Campos.

A fotografia em questão foi compartilhada, inicialmente, pela filha de Blairo Maggi (PP), a empresária Ticiane Maggi. Na imagem, Mendes e Maggi, acompanhados da primeira-dama do Estado, Virginia Mendes, do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e do empresário Eraí Maggi, aparecem ao lado de Buzzeti fazendo o sinal de ‘11’, número do Progressista nas urnas. A legenda da foto dizia: “nossa senadora”.

Margareth Buzetti é dona de uma indústria de recapagem, recauchutagem, duplagem e vulcanização de pneus de caminhões e máquinas pesadas. No início de janeiro deste ano, ela chegou a afirmar que, caso definida como candidata pelo Progressista, iria representar o comércio, indústria, serviços e agronegócio. A empresária possui estreita relação com a família do governador Mauro Mendes.

Blairo Maggi já havia utilizado suas redes sociais em outros momentos para externar apoio a uma eventual candidatura de Buzzeti. Mendes, por sua vez, afirmou na semana passada que “ainda é cedo” para se pronunciar sobre a questão. No final do ano passado, o chefe do Executivo havia citado “coerência” e disse que, em caso de confirmação da cassação de Selma, iria manter seu apoio ao colega de chapa de 2018, Carlos Fávaro (PSD).

Agora, além da candidatura de Fávaro, o Paiaguás tem de lidar com a eventual candidatura de Pivetta, que se consolida a cada dia e agrega nomes de peso, como do ex-deputado federal Adilton Sachetti (Republicanos) e do ex-senador Cidinho Santos (PL), que avaliam assumir a suplência do pedetista.

Mendes acumula, ainda, a embaraçosa candidatura de Júlio Campos, um dos principais caciques do Democratas e que já se movimenta pelo Estado em ritmo de pré-campanha, mantendo conversas inclusive com grupos considerados de oposição ao governador, como do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB).

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Chico Bento
    21 Jan 2020 às 09:00

    Já que a preocupação deles é eleger mais um senador da baixada, precisamos nos atentar para elegermos um do nortão com suplentes do Oeste e do Leste. O sul também já tem o tal de Wellington que já está no Congresso ha trinta anos e nunca fez nada.

  • MARCOS
    21 Jan 2020 às 08:19

    GISELA E MEU VOTO. O RESTANTE SAO TODOS IGUAIS. AMBICIOSOS EM CAUSA PROPRIA E DEMOAGOGOS. O CANDIDATO QUE FOI EX XIS TUDO PRA MIM NAO SERVE. TEM PROCESSOS E JA E REU. TEMOS QUE IMPLANTAR POR MEIO DO VOTO FICHAS LIMPAS. TA DADO O RECADO.

  • Marlan
    21 Jan 2020 às 06:49

    Dr.JULIO SAI FORA DESSA DISPUTA... NÃO ARRUME SARNA PRA SE COÇAR. NEM TUDO QUE RELUZ É OURO. NEM TODOS QUE SÃO FILIADOS AO DEM REALMENTE MILITAM PELO DEM...ABRA O OLHO COMPANHEIRO, ACORDA XOMANO.

  • Antonio luiz
    21 Jan 2020 às 00:36

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Saulo
    20 Jan 2020 às 21:54

    Júlio Campos não confie e Mauro Mendes, só usou o Dem pra se eleger governador e outro Taques da vida. Júlio Campos vc tem que falar que vai fazer parte do grupo muda senado, senão vc não tem chance de se eleger.

  • Zeca do tênis
    20 Jan 2020 às 20:43

    Ta louco chega desses barões eu tenho dificuldade de acreditar que um pobre trabalhador levanta de manhã pegar fila pra depositar voto nesses barões do agronegócio Elizeu Nascimento jente umilde que trabalha

  • Zeca
    20 Jan 2020 às 17:37

    Por que da Baixada Cuiabana? Já não basta o Jayme Campos? Já que é assim nós do interior só votemos em candidato do interior. Temos Leitão, Pivetta, Cidinho, Francis Maris Cruz, Newton Miotto, Max Russi e muitos outros para apoiar!

  • Luiza Sauber
    20 Jan 2020 às 15:35

    Júlio Campos, quando governador, deixou quatro meses de salário atrasado. Fica quieto.

  • Geraldo
    20 Jan 2020 às 15:31

    Engraçado esse nosso DEM, quando temos tudo para elegermos o novo Senador de MT com um forte nome da Baixada Cuiabana: seja ele Júlio Campos, Eduardo Botelho ou Roberto França fica brigando internamente e o pior querendo apoiar políticos de outros Partidos como Piveta do PDT, Faváro do PDS ou essa desconhecida de Buzetti do PP, . Ora bolas...Tô chateado e até querendo desfilar do DEM. Do DEM o melhor é o Júlio.

  • O atalaia
    20 Jan 2020 às 15:30

    A bem da verdade, os partidos políticos atuam como "camisas de força", impedindo seus filiados de pensarem e de exercer seu direito à auto-determinação. Essas imposições deveriam ser extintas e, com isso a modernização abriria um espaço na política. Os caciques dos partidos agem como donos e impõem seus intetesses pessoais sem nenhum critério. Isso é o que se pide chamar de"atraso de vida"...