Olhar Direto

Segunda-feira, 19 de abril de 2021

Notícias / Política MT

isolamento social

À CNN, Emanuel critica relaxamento da população e anuncia multa ao comércio

Da Redação - Isabela Mercuri

11 Abr 2020 - 08:21

Foto: Reprodução

À CNN, Emanuel critica relaxamento da população e anuncia multa ao comércio
Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que não descarta a possibilidade de multar os estabelecimentos comerciais que insistem em continuar abertos mesmo com o decreto municipal que os proíbe. O prefeito afirmou que, até agora, as medidas visavam a conscientização da população, mas a postura pode mudar nas próximas semanas.

Leia também:
Sachetti recua de disputa pela Prefeitura de Rondonópolis e lança empresário para enfrentar Zé do Pátio
 
O prefeito deu uma entrevista ao programa ‘Notícias da Manhã’, da CNN Brasil, neste sábado (11), por volta das 7h30 (horário de Cuiabá). A emissora realiza uma série com os prefeitos das capitais brasileiras, sempre em relação à situação diante do novo coronavírus.
 
“Nós estamos tentando a conscientização da população cuiabana de que isso não é um exagero”, disse. “Se necessário for – ainda não está sendo necessário, até porque estamos num momento de práticas preventivas, elucidativas, informativas, mas já estamos na segunda semana. Daqui para sempre nós pretendemos agir de maneira mais pedagógica”.
 
Emanuel ainda afirmou que, andando por alguns bairros de Cuiabá, as pessoas aparentam estar de férias, e que nos últimos cinco dias houve um ‘relaxamento’ da população em relação ao isolamento social. Ele ainda não descartou a possibilidade de fazer toque de recolher e rodízio de veículos, caso seja necessário.
 
Sobre o sistema de saúde da capital, o prefeito lembrou as ações que a Secretaria Municipal faz, como a construção de novas UPAs e a transformação do antigo Pronto Socorro em um hospital de referência no tratamento do novo coronavírus. No entanto, afirmou que “a assombração do caos, do colapso [na saúde] ameaça a todos. O mundo não estava preparado para a pandemia, e Mato Grosso, Cuiabá, não pode ser encarado de forma diferente, nós não somos uma ilha”.

Veja a íntegra da entrevista:

Comentários no Facebook

Sitevip Internet