Olhar Direto

Quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Em Cuiabá, 81% dos pacientes de Covid-19 internados na UTI precisaram de ventilação mecânica

Da Redação - Érika Oliveira

28 Abr 2020 - 15:50

Foto: Tchélo Figueiredo - SECOM/MT

Em Cuiabá, 81% dos pacientes de Covid-19 internados na UTI precisaram de ventilação mecânica
Com o objetivo de monitorar o padrão de morbidade e mortalidade e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos casos de Covid-19 em Cuiabá, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou o quarto Informe Epidemiológico e atestou que mais de 80% dos infectados pelo coronavírus na Capital, que foram para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), demandaram ventilação mecânica. A taxa de internação no período foi de 25,8% com tempo médio de hospitalização de 4,9 dias.
 
Leia mais:
Novo levantamento mostra bairros com maior número de casos do coronavírus em Cuiabá; veja
 
Ainda conforme o levantamento, entre os internados (31) 34,5% (11) ocuparam leitos de UTI. O informe levou em consideração casos notificados até 25 de abril. Vale destacar que, conforme o boletim diário da Secretaria de Saúde do Estado, divulgado nesta segunda-feira (27), o número de pessoas infectadas na Capital já havia subido para 126.
 
Metade dos casos de COVID-19 em Mato Grosso são de residentes na capital. A taxa de incidência foi de 19,5 casos/100.000 habitantes, bem mais elevada que a incidência em Mato Grosso (7,0/100.000 habitantes), contudo muito inferior a taxa de incidência no Brasil que foi 27,6/100.000. Com um óbito, desde a notificação do primeiro caso em 14 de março, a taxa de letalidade em residentes em Cuiabá é de 0,8%. Em 25 de abril, cerca de 66,7% dos casos encontravam-se recuperados e os demais em monitoramento.
 
Entre os casos confirmados de COVID-19 residentes em Cuiabá (120) a maioria (73; 60,8%) é do sexo feminino e 53,5% a cor/raça eram preta/parda. A idade média é 43 anos, sendo o mais novo com 4 anos e o mais velho com 92 anos. Cerca de 72% dos casos se concentra no grupo de 30 a 59 anos e os idosos representaram 12,5% (15) dos casos. Cerca de 70,3% dos casos tinham nível superior e profissionais da área da saúde representaram 19% dos casos confirmados.
 
Os principais sintomas relatados foram tosse (77), febre (74), desconforto respiratório (45), dor de garganta (39), cefaleia (36), diarreia (32), mialgia (31), dispneia (31), perda de paladar (16) e perda de olfato (12). Cerca de 28% (33) dos casos referiram comorbidades isoladas ou associadas, entre elas prevaleceram doença cardiovascular crônica (15), diabetes mellitus (9), hipertensão arterial (6), imunodeficiência (4) e asma (4).
 
Primeira morte
 
O indivíduo que veio a óbito em 15 de abril era do sexo masculino, branco, 70 anos, com nível médio de escolaridade. Em 02 de abril apresentou os primeiros sintomas (febre, tosse, dispneia, desconforto respiratório e diarreia) tendo sido internado em 14 de abril e no mesmo dia transferido para UTI pela necessidade de suporte ventilatório invasivo. Também, no dia 14 foi realizado coleta de material (secreção naso-orofaringe) para exame de RT-PCR realizado pelo LACEN-MT.
 
 Corrigida às 19h06

Comentários no Facebook

Sitevip Internet