Olhar Direto

Sábado, 26 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Vereadores rejeitam relatório de CPI e mantêm Emanuel Pinheiro prefeito; veja como cada um votou

Da Redação - Max Aguiar

16 Jul 2020 - 11:10

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Vereadores rejeitam relatório de CPI e mantêm Emanuel Pinheiro prefeito;  veja como cada um votou
O pedido de afastamento de 180 dias do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), conforme pedia o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga atitudes do emedebista quando o político ainda era deputado estadual, foi reprovado e arquivado por não ter maioria simples entre os parlamentares da Câmara de Cuiabá.

Leia mais:
Mais da metade das mortes por coronavírus em Cuiabá ocorreu nas últimas duas semanas

Na votação, que aconteceu nesta quinta-feira (16), o resultado final foi de 13 votos pela não aprovação do relatório e apenas 9 votaram pelo afastamento. Sendo que a oposição ficou muito constrangida, tendo em vista que o relatório teve maioria dos votos, mas quando chegou ao plenário a base do prefeito foi maioria, com isso Emanuel Pinheiro permanece no cargo, sem o ônus de ter o mandado e os direitos políticos cassados. 

Antes da votação, a base do prefeito defendeu a permanência do prefeito no cargo, tendo em vista que o que estava em curso de investigação era algo cometido pelo prefeito no âmbito legislativo estadual e não no executivo municipal. 

O vereador Dilemário Alencar (Pros) disse que o processo está inválido pois não teve parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e isso torna a votação prejudicada no âmbito judicial. O presidente da Câmara, vereador Misael Galvão (PTB) indeferiu o pedido no ato e a discussão continuou. 

Outro vereador da oposição, Felipe Wellaton (Cidadania), disse que combateu o bom combate e não irá escrever na sua história que foi um vereador que defendeu a impunidade. 

"Ele será preso. Terá delações da operação sangria. Operação na Educação. As duas maiores pastas teve polícia e condução coercitiva. Quem não cassar Emanuel Pinheiro hoje aceitou a corrupção. Nós estamos aqui é para quebrar esse modelo de troca troca e interesses. Eu estaria revoltado se estivesse nos lugares dos que protegem Emanuel", comentou o vereador. 

​O ex-presidente da Casa de Leis municipal, vereador Justino Malheiros (PV), questionou o crime que o prefeito fez. Questionou o motivo disso, pois tudo parece viés político. 

"Eu quero ser lembrado pela postura que tive no decorrer dos meus quatro anos dentro dessa casa. Tenho respeito e admiração por todos, mas precisamos saber qual crime estamos julgando. É um crime contra Cuiabá? Não", disse o vereador. 

O líder do prefeito na Câmara, vereador Luis Cláudio disse que não responde a processo e que o processo que está sendo julgado é algo politiqueiro e politizado. "Fiquem tranquilos com nosso posicionamento. Estamos baseado na Justiça e na legalidade. Votaremos contra o processo e o contra o relatório. Com tranquilidade", ponderou o líder. 

Marcelo Bussiki (DEM), presidente da Comissão que criou o relatório da CPI que indicava o afastamento de Emanuel, disse que crime é crime e corrupção está dentro disso. "Teve vídeo dele pegando dinheiro. Teve vídeo dele passando no país inteiro. Se filmado ele fazia aquilo, imagina sem filmar. Teve áudio, teve vídeo. Teve tudo. Não votem contra o relatório. As provas são coesas. Não se pode proteger Emanuel Pinheiro. Vamos defender o relatório e cassar Emanuel Pinheiro", concluiu o vereador. 

Vereador que votaram a favor do prefeito:

Marcrean
Justino Malheiros
Juca do Guaraná
Adevair Cabral
Toninho de Souza
Dr Xavier
Renivaldo Nascimento
Adilson Levante
Chico 2000
Orivaldo da Farmácia
Luis Cláudio
Mario Nadaf
Aluízio Leite

Vereadores que votaram contra o prefeito:

Abílio Júnior
Sargento Joelson
Felipe Wellaton
Clebinho Borges
Diego Guimarães
Dilemário Alencar
Lilo Pinheiro
Marcelo Bussiki
Wilson Kero Kero

Ausentes:

Delegado Marcos Veloso
Vinicius Hugney
Ricardo Saad

Comentários no Facebook

Sitevip Internet