Olhar Direto

Segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Corregedoria irá apurar possíveis falhas em investigação de morte no Alphaville e fiança de R$ 1 mil

Da Redação - Vinicius Mendes

03 Ago 2020 - 18:41

Foto: Reprodução

Corregedoria irá apurar possíveis falhas em investigação de morte no Alphaville e fiança de R$ 1 mil
A Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso irá apurar o arbitramento de fiança de R$ 1 mil imposta, inicialmente, ao empresário Marcelo Cestari, pai da adolescente que matou a amiga Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, no Alphaville, em Cuiabá. Também serão apuradas "outras circunstâncias apontadas".

Leia mais:
Justiça aumenta valor da fiança e empresário terá de pagar R$ 52 mil para não voltar a ser preso

Em decisão desta segunda-feira (3) o juiz João Bosco Soares da Silva, da 10ª Vara Criminal de Cuiabá, aumentou para R$ 52,2 mil o valor da fiança que deve ser paga por Marcelo Cestari.

O empresário havia sido soldo após pagar R$ 1 mil de fiança, arbitrada pelo delegado, porém a família de Isabele entrou na Justiça questionando o valor e pedindo majoração da fiança.

Na sexta-feira (31) a defesa de Marcelo apresentou manifestação e hoje (3) houve decisão determinando o aumento do valor.

Por meio de nota a Corregedoria da Polícia Civil informou que o arbitramento da fiança de R$ 1 mil, bem como "outras circunstâncias apontadas", serão apurados.

"A Polícia Civil informa que o ato envolvendo o arbitramento de fiança na fase inicial da apuração do fato sobre a morte de Isabele Guimarães Ramos, realizada pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, e que fora posteriormente objeto de revogação por decisão judicial, além de outras circunstâncias apontadas estão sendo apurados pelo órgão de controle interno, que é a Corregedoria da Polícia Civil, a fim de zelarmos pela total transparência dos trabalhos prestados pela Polícia Civil à sociedade mato-grossense".

Comentários no Facebook

Sitevip Internet