Olhar Direto

Segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Notícias / Educação

Seduc junta CEJAs com unidades de ensino regular e cria Escola de Desenvolvimento Integral

Da Redação - José Lucas Salvani

02 Dez 2020 - 15:17

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Seduc junta CEJAs com unidades de ensino regular e cria Escola de Desenvolvimento Integral
A Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) planeja juntar os Centro de Educação Jovens e Adultos (CEJAs) com as escolas de Ensino Regular. Com a junção, cria-se a Escola de Desenvolvimento Integral da Educação Básica (EDIEB), prevista para funcionar já a partir de 2021. A medida visa aumentar o atendimento de demanda dos estudantes.

Leia mais:
Professores do CEJA Cesário Neto são notificados e temem fechamento de escola

“Hoje são 21 [CEJAs] que oferecem exames. Vamos ampliar para 32 unidades que irão oferecer os exames”, explicou o secretário da Seduc, Alan Porto, ao Olhar Direto. “Hoje o CEJA atende somente um segmento, só uma modalidade, que é a Educação de Jovens e Adultos. A EDIEB vai passar a atender Ensino de Jovens e Adultos e o Ensino Regular. Essa é a diferença”.

Nesta quarta-feira (02), o secretário se reuniu com diretores dos CEJAs espalhados pelo estado de Mato Grosso para apresentar a proposta de mudança. Parte das unidades serão transformadas nos EDIEBs, enquanto algumas que possuem prédios alugados serão devolvidas para os seus respectivos donos e os alunos serão reordenados para outras escolas da rede estadual. É o caso do CEJA  Ariosto da Riva, localizado em Alta Floresta, e Anísio Spinola Teixeira, de Diamantino.

A lista apresentada aos diretores dos CEJAs com a relação do que será feito com cada unidade deve sofrer alterações devido a questionamentos levantados pelos profissionais que acompanharam a reunião. O secretário, inclusive, se prontificou a ouvir os diretores para garantir que não haja erro durante esse processo. A lista provisória pode ser conferida na galeria.

“Vamos atender as duas modalidades: ensino jovens e adultos, e médio, que faz parte da educação básica. Vai ser respeitado, não vai ter a mistura de adultos com pessoas mais jovens. Esse redimensionamento vai ser discutido diretamente com as nossas assessorias pedagógicas, juntamente com os diretores, para ofertar as matrículas para que não tenha nenhum prejuízo para os nossos alunos e profissionais da educação”.

Fechamento temporário

Nesta terça-feira (1), professores e funcionários da Escola Estadual Salim Felício, no bairro Parque Cuiabá, na capital, relatam que receberam uma comunicação informal de que a escola, que atende 578 alunos, seria fechada, e os estudantes remanejados para outros colégios. Agora, eles se mobilizam para tentar evitar que isto se concretize.

“A Seduc falou que mandou um e-mail nos informando sobre o fechamento da escola. Mas já vasculhamos nosso e-mail e não existe e-mail nenhum sobre isso. Informalmente, já ficamos sabendo que nossas turmas serão distribuídas entre três escolas. Mas não temos nada oficial. Estamos preocupados, sem saber como proceder”, afirma a diretora Diva Maria Kleber.

Ainda nesta terça-feira, a Seduc informou que a unidade será fechada temporariamente porque será construída uma nova sede, mais ampla, com recursos de cerca de R$ 5,5 milhões. Com isso, as 20 turmas da unidade serão redimensionadas para escolas que atenderão os estudantes mais próximos das suas residências. São as EE Heliodoro Capistrano (bairro Parque Cuiabá), Historiador Rubens de Mendonça (Cohab Saão Gonçalo) e Alice Fontes Pinheiro (bairro Nossa Senhora Aparecida).

Conforme o secretário de Educação, Alan Porto, será realizado licitação para a construção de um novo prédio com 16 salas de aula, com dependências administrativas, além de laboratório, acessibilidade e uma quadra poliesportiva. Será num terreno próximo do antigo imóvel. A nova escola estará pronta entre um ano e meio e dois anos.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet