Olhar Direto

Domingo, 26 de setembro de 2021

Notícias | Meio Ambiente

Balanço

Piracema chega ao fim com uma tonelada de pescado apreendido e mais de R$ 305 mil em multas

Foto: Max Aguiar / Olhar Direto

Redes apreendidas durante o período de fiscalização,

Redes apreendidas durante o período de fiscalização,

Mais de uma tonelada de pescado irregular foi apreendida durante o período de piracema em Mato Grosso. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT) nesta segunda-feira (1), que também apontou um montante de mais de 300 mil reais em multas aplicadas. Para o secretário executivo da Sema, Alex Marega, os números são resultado de uma fiscalização mais intensa na região da baixada do rio Cuiabá.

Leia mais:
Homem flagra pesca com rede durante Piracema no Rio Cuiabá; veja vídeo

No balanço realizado pela Secretaria, ao todo foram 201 redes apreendidas, além de 46 tarrafas, e mais de 900 apetrechos de pesca proibidos. Com relação às redes, o número aponta um crescimento de 28,8%, comparado ao do último período de proibição.

Para o secretário, o aumento no número de instrumentos de pesca apreendidos se dá em decorrência do novo enquadramento das fiscalizações. “Estamos intensificando a apreensão de equipamentos que são utilizados na pesca predatória, como os barcos, as redes e todos os outros apetrechos. Apreendemos redes de 200 e até mil metros, ou seja, equipamentos de grande porte, e que causam um grande impacto sobre a nossa fauna”, afirmou.

Ainda de acordo com a secretário, em todo o estado foram 28 pessoas conduzidas para a delegacia, incluindo registros de porte ilegal de arma de fogo. “Nós também identificamos pessoas que estavam portando arma ilegalmente, e essas pessoas foram conduzidas para a delegacia”, disse.

Ao todo, foram 32 autos de infração, 311 autos de inspeção, 66 boletins de ocorrência e patrulhamento diário nas pontes da região metropolitana de Cuiabá.

Recursos das multas

Somando mais de 305 mil reais em multas aplicadas, todo o recurso arrecadado deve ser empregado em novas ações de fiscalização e conservação ambiental. “Esse dinheiro é aplicado no investimento das nossas ações ambientais, ele não pode ser utilizado em outras coisas”, relatou Marega.

Questionado sobre a efetividade do pagamento das multas, o secretário reforçou a estratégia do governo para arrecadar o valor apontado. “Contratamos mais advogados e outros profissionais para que estes autos sejam julgados de forma célere. A determinação do governador é que a gente inscreva estes infratores que não pagaram suas multas na Dívida Ativa e no Serviço de Proteção ao Crédito, para que eles possam ser responsabilizados de fato”, concluiu.

Mesmo diante do encerramento do período da piracema, que seguiu até o último dia 31 de janeiro, a Sema-MT reforçou que as fiscalizações devem seguir , com foco na apreensão de equipamentos que colaborem com a pesca predatória.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet