Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Notícias | Meio Ambiente

OPERAÇÃO AMAZÔNIA

Governo reforça efetivo para frear crimes ambientais; veja lista dos dez municípios que mais desmatam

Foto: Rogério Florentino - Olhar Direto

Governo reforça efetivo para frear crimes ambientais; veja lista dos dez municípios que mais desmatam
A Operação Amazônia, deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e forças de segurança começou nova etapa na última segunda-feira (31). Visando prevenir, coibir e punir o desmatamento ilegal na Amazônia Mato-grossense, a operação iniciada em maio do ano passado já aplicou mais de R$ 620 milhões em multas ambientais neste ano. Colniza, Nova Bandeirantes, Aripuanã, Peixoto de Azevedo estão entre os municípios que mais desflorestam o bioma.

Leia também:
Mato Grosso recebe novo lote com mais de 100 mil vacinas contra a Covid-19 nesta quarta-feira

Intensificar as ações de fiscalização e prevenção é uma forma de reposta ao crescimento de crimes ambientais, principalmente o desmatamento, que normalmente se inicia em maio, mês que começa o período de estiagem e das queimadas.

Em Mato Grosso, os 10 municípios que mais desmatam são os principais alvos das ações: Colniza, Nova Bandeirantes, Aripuanã, Peixoto de Azevedo, Apiacás, Querência, União do Sul, Marcelândia, Juara, e Rondolândia. 

Dados da assessoria da Sesp informam que entre agosto e 2020 e abril de 2021, o estado teve queda de 29% nos alertas de desmatamento. A previsão é de aumento nos números de desmatamento no mês de maio. Em 21 dias, no mês de maio, a estimativa de 220 km² de alerta de mudança na vegetação, sendo que no mesmo mês do ano passado, foi identificado o alerta de corte raso de 171 km².

O Estado de Mato Grosso já aplicou mais de R$ 620 milhões em multas ambientais neste ano pela operação. Até o dia 27 de maio foram embargados cerca de 110 mil hectares por desmatamento ou exploração florestal ilegal. Foram apreendidos 116 tratores, 91 veículos, 40 motosserras, e 18 suspeitos foram conduzidos para a delegacia. 

O efetivo de combate aos crimes ambientais foi reforçado com mais de 100 servidores com a missão de identificar o desmatamento ilegal, evitar aumento do dano ambiental e punir os infratores. Os agentes são integrantes da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

"O Estado está agindo rápido, empregando todo o efetivo, infraestrutura, e tecnologia de ponta para frear o desmatamento ilegal, e evitar que tenhamos, de fato, um aumento do desmatamento e que possamos manter o resultado positivo que temos acumulado com a política de tolerância zero com os ilícitos ambientais nos últimos nove meses", explica a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet