Olhar Direto

Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021

Notícias | Política MT

Operação Capistrum

Jayme vê exagero em afastamento de Emanuel e diz que contratação de servidores é prática comum

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Jayme vê exagero em afastamento de Emanuel e diz que contratação de servidores é prática comum
O senador Jayme Campos (DEM) apontou exagero na decisão judicial que determinou o afastamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). O democrata questiona as acusações apresentadas contra o gestor municipal e diz que a contratação de servidores, especialmente para a Saúde, é prática comum nos municípios e estados.

Leia também:
Ação requer afastamento de prefeito por 180 dias e ressarcimento de R$ 16 milhões

“Emanuel é meu amigo, está fazendo uma boa gestão, ninguém pode desconhecer. Se o fato que saiu na imprensa é real, dizendo que contratou 259 pessoas na área da Saúde, não sobra um prefeito, não sobra um governador no país. É de prática, principalmente nesse momento de pandemia, o que houve de contratação (...)”, disse, em entrevista à Rádio Capital FM, nesta sexta-feira (22).

“Agora se não teve um critério técnico, não sei explicar. Num país democrático tem indicações políticas, vamos ser honestos. Se esse foi o fato, para mim não tinha motivo nenhum. Acho que houve um certo exagero. Pedir afastamento do prefeito da Capital do Estado, que acabou de ganhar uma eleição, acho que houve exagero”, completou.

Emanuel foi afastado no âmbito da Operação Capistrum, que apura suposto esquema na Prefeitura de Cuiabá para acomodar indicações políticas em cargos na Secretaria de Saúde.

Jayme ainda revela a expectativa de que Emanuel recorra e consiga retornar ao cargo.

Questionado se o fato atinge a imagem política do emedebista, o senador avalia que um afastamento de cargo público nunca é bom, mas pondera que Emanuel estaria preparado para enfrentar situações complicadas.

“Creio que na altura do campeonato ele não está nem preocupado em pensar se prejudica politicamente. Está preocupado em retornar ao cargo e continuar a gestão. Nunca é bom na política, mas Emanuel já está vacinado, tanta coisa que já aconteceu com ele no passado ele conseguiu ganhar a eleição contra todo mundo. Vamos respeitar. Ele está vacinado, é um craque e tem prestígio”, pontuou.

Alvos

Além do prefeito, a secretária-adjunta de Governo e Assuntos Estratégicos, Ivone de Souza, também foi afastada. O chefe de gabinete de Emanuel, Antônio Monreal Neto foi preso por obstrução à Justiça.

Ainda são alvos da operação a primeira-dama Márcia Pinheiro e o ex-coordenador de Gestão de Pessoas da Secretaria de Saúde, Ricardo Aparecido Ribeiro. Todos eles, por ordem judicial, sofreram sequestro de bens na ordem de R$ 16 milhões.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet