Olhar Direto

Domingo, 23 de janeiro de 2022

Notícias | Cidades

urgente

Anvisa identifica dois casos da variante Ômicron no Brasil

Foto: Pavlo Gonchar/Zumapress/picture alliance

Anvisa identifica dois casos da variante Ômicron no Brasil
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou nesta terça-feira (30), a identificação de dois casos positivos da Ômicron no Brasil, variante do Sars-Cov-2, após testagem realizada pelo laboratório Albert Einstein. O casal deveria retornar à África do Sul, quando testou positivo.

Leia também:
Cidade suspende aulas presenciais após surto de casos de Covid-19

A testagem deve-se ao fato de que um passageiro vindo da África do Sul desembarcou em Guarulhos no dia 23 deste mês, portando resultado de RT-PCR negativo. Como deveria voltar a à África do Sul, procurou o laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos dois dias depois para, já na companhia de sua esposa, realizar o teste de RT-PCR requerido para o retorno.

Naquele momento, ambos testaram positivo para a Covid-19 e o fato foi comunicado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de São Paulo. Diante dos resultados positivos, o laboratório Albert Einstein adotou a iniciativa de realizar o sequenciamento genético das amostras.

Ademais, o laboratório notificou a Anvisa sobre os resultados positivos dos testes e sobre o início dos procedimentos para sequenciamento genético no dia 29/11. Nesta terça-feira, em análises prévias, foi identificada a variante Ômicron do Sars-Cov-2.

De acordo com os protocolos nacionais, o material deve ser enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético. A Anvisa também oficiou o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo sobre para adoção das medidas de saúde pública pertinentes.
 
Diante da identificação e testagem com resultado positivo para Covid-19, a Rede CIEVS, ligada ao Ministério da Saúde, deve monitorar casos de acordo com o sistema de vigilância vigente no Brasil, para avaliação das condições de saúde e direcionamento dos indivíduos aos serviços de atenção à saúde, bem como para adoção das medidas de prevenção e controle da Covid-19.

A Agência ressaltou que a entrada do passageiro no Brasil ocorreu antes da notificação mundial sobre a identificação da nova variante, que foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial de Saúde (OMS) pela África do Sul no dia 24 de novembro.

A entrada também foi anterior à edição da Portaria Interministerial que proibiu, em caráter temporário, voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela República da África do Sul e que também suspendeu, em caráter temporário, a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros, procedentes ou com passagem, nos últimos 14 dias antes do embarque, por esse país.

Entenda as restrições

Conforme recomendação da Anvisa, a Portaria Interministerial nº 660, de 27 de novembro de 2021, proibiu voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela República da África do Sul, República de Botsuana, Reino de Essuatíni, Reino do Lesoto, República da Namíbia e República do Zimbábue.

De acordo com a Portaria vigente, o viajante brasileiro procedente ou com passagem pela República da África do Sul, República do Botsuana, Reino de Essuatíni, Reino do Lesoto, República da Namíbia e República do Zimbábue, nos últimos quatorze dias antes do embarque, ao ingressar no território brasileiro, deverá permanecer em quarentena, por quatorze dias, na cidade do seu destino final.
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet