Olhar Direto

Sábado, 18 de maio de 2024

Notícias | Cidades

OPERAÇÃO DA PJC

Polícia prende DJ e interdita farmácia de fachada usada para lavar dinheiro do tráfico em Cuiabá

Foto: Reprodução

Polícia prende DJ e interdita farmácia de fachada usada para lavar dinheiro do tráfico em Cuiabá
DJ de Sinop (500 km de Cuiabá), ainda não identificado, foi preso e uma drogaria, localizada no bairro Tijucal, em Cuiabá, foi interditada, nesta quinta-feira (21), durante a deflagração da Operação Follow The Money, que mira em um grupo envolvido em lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas no município do Nortão.


Leia mais
'Se cada um não fizer a sua tarefa, vai explodir em números', avalia deputado sobre casos de dengue


Ao todo, estão sendo cumpridas 136 ordens judiciais, sendo 56 mandados de busca domiciliar, 60 prisões temporárias, 17 ordens de bloqueios bancários, dois sequestros e cautela de veículos e a suspensão das atividades.

De acordo com as informações da Polícia Civil, a medicação da drogaria está sendo doada para a Secretaria Municipal.

Os mandados foram cumpridos em cidades de três estados, sendo em Mato Grosso em Alta Floresta, Colíder, Apiacás, Carlinda, Nova Bandeirantes, Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Peixoto de Azevedo; no Pará, em Abaetetuba, e na capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande.

As ordens judiciais foram expedidas pela 5ª Vara Criminal de Sinop, após representação da Derf Sinop, baseada nas investigações realizadas pela equipe da unidade com o apoio do Núcleo de Inteligência da regional.

A Polícia Civil informou que as investigações tiveram início em 2022, a partir de uma apreensão de 400 tabletes de maconha, localizados pela Derf, em uma chácara na zona rural da cidade.

Depois do fato, os policiais descobriram um esquema de lavagem de dinheiro sustentado a partir do tráfico de drogas na cidade. Foi apurada a existência de empresas fantasma e também de empresas reais que dissimulavam o capital ilícito, dando a aparência de licitude às transações.

Ainda segundo as informações, o DJ de Sinop era o responsável por fazer os repasses de valores. Esses montantes eram destinados a manter a ostentação de familiares de líderes da facção criminosa que atua em Mato Grosso e que se encontram presos na Penitenciária Central do Estado (PCE).

São alvos da operação familiares do líder da organização criminosa em Sinop, sendo a esposa, cunhada e um irmão do DJ. Além disso, o criminoso é alvo de buscas na cela da unidade prisional onde ele está detido.

Já em relação à drogaria de Cuiabá, a PJC revelou que ela realizava a lavagem do dinheiro do tráfico. Ela teve as atividades suspensas judicialmente. Os medicamentos apreendidos serão doados à secretaria de saúde do município.

(Com informações da assessoria)
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

xLuck.bet - Emoção é o nosso jogo!
Sitevip Internet