Olhar Direto

Segunda-feira, 17 de junho de 2024

Notícias | Cidades

3º POSIÇÃO EM MORTES

Mato Grosso é estado com maior taxa de acidentes com choque elétrico no Brasil; confira dados

Foto: Gino Crescoli/Pixabay

Mato Grosso é estado com maior taxa de acidentes com choque elétrico no Brasil; confira dados
Mato Grosso foi o estado com maior número de acidentes com choque elétrico por milhão de habitantes, em todo o Brasil, no ano de 2023. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), na última semana, por meio do Anuário Estatístico de Acidentes de Origem Elétrica 2024.


Leia mais
Sem freio, caminhão desce rua e bate em prédio; bombeiros suspeitam de dano estrutural


A taxa do estado foi de 15,03 acidentes por choque elétrico a cada um milhão de habitantes. Em segundo lugar, Rondônia registrou a taxa de 12,02, e em seguida, Piauí, com 11,92.


Ao analisarmos os dados nacionais, o Brasil teve um total de 1.046 registros de acidentes com choque elétrico em 2023, incluindo 674 mortes, gerando uma taxa de mortalidade de 64,4%. Já Mato Grosso registrou, ao todo, 55 acidentes e 33 mortes, com uma taxa de 60%.

Em relação às mortes por choque elétrico a cada um milhão de habitantes, em 2023, Mato Grosso ficou em 3º lugar no ranking nacional, com uma incidência de 9,02 mortes. Os primeiros lugares foram: Rondônia (10,75) e Piauí (10,09).

A Abracopel também fez um comparativo das taxas nos últimos dez anos, 2013-2023. Os números de Mato Grosso não mudam muito, e o estado continua em 1º lugar na taxa de acidentes por choque elétrico a cada um milhão de habitantes. A incidência acumulada é de 10,91 acidentes. Em segundo lugar, vem o Acre, com 10,82 acidentes, e em terceiro, o Piauí, com 10,5.



Conforme o estudo, o Brasil como um todo apresenta um número significativo de acidentes por choque elétrico, muitos dos quais poderiam ser prevenidos através de medidas adequadas, incluindo a realização de projetos elétricos detalhados, a instalação de dispositivos de proteção como o DR (Dispositivo Diferencial Residual), o dimensionamento correto de condutores, e sistemas de aterramento eficazes, além da adoção de medidas de proteção para trabalhos diretos ou indiretos com eletricidade.

A Associação reforça a importância da revisão periódica das instalações elétricas, pelo menos a cada cinco anos para instalações de baixa tensão, permitindo a identificação e correção de potenciais problemas, assegurando a segurança das instalações elétricas e prevenindo acidentes.

Duas condições principais são responsáveis por 70% dos acidentes elétricos, resultando em 477 mortes por choque elétrico em 2023: as redes de distribuição aérea de energia e os ambientes residenciais. O elevado número de acidentes associados às redes de distribuição aérea, predominantes no Brasil, geralmente ocorre devido ao contato acidental com linhas elétricas energizadas. Situações típicas incluem acidentes em obras civis, onde as vítimas, ao manusearem materiais metálicos próximos às redes aéreas, acabam tocando os circuitos elétricos acidentalmente.
 
Além disso, os acidentes de trânsito que envolvem postes elétricos e o impacto mecânico de árvores ou outros objetos nos circuitos elétricos também contribuem significativamente para o número de fatalidades, especialmente durante os períodos de maior ocorrência de tempestades.
 
Nas residências, foram registradas 210 mortes em 2023 devido a choques elétricos. Tais acidentes geralmente ocorrem pela energização acidental de equipamentos elétricos com partes metálicas externas, envelhecimento e falta de manutenção adequada dos equipamentos, ausência de aterramento elétrico adequado e a não utilização do Dispositivo Diferencial Residual (DR), conforme apontado pelas investigações.

Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

xLuck.bet - Emoção é o nosso jogo!
Sitevip Internet