Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de julho de 2024

Notícias | Política MT

PETISTA NA BERLINDA

Edna não apresenta defesa, falta oitiva e irrita presidente de comissão: 'talvez não acredite no problema que tem'

Foto: Jessé Soares

Edna não apresenta defesa, falta oitiva e irrita presidente de comissão: 'talvez não acredite no problema que tem'
O presidente da Comissão Processante contra a vereadora Edna Sampaio (PT), Sargento Vidal (MDB), disse que a petista não apresentou defesa contra a acusação de apropriação indébita da verba indenizatória de sua ex-chefe de Gabinete, Laura Abreu.


Leia também 
PP quer secretária de Assistência Social como vice de Botelho em Cuiabá


Ele comentou que a parlamentar foi notificada para se defender, mas todas as tratativas foram ignoradas.
“Talvez não acredite no problema que tem. Ela recebeu todas as notificações, mas, depois, se negou a receber, só aceitava se fosse o advogado dela e isso aí não existe, eu posso notificar tanto ela quanto a defesa. Ela foi notificada de tudo que estava acontecendo, mas preferiu abrir mão, não quis essa defesa”, destacou em entrevista ao Olhar Direto.

Vidal disse que a vereadora não tem dado importância aos trabalhos da comissão que faltou à última oitiva, sem apresentar justificativas. Por isso, ele decidiu fechar os trabalhos e concedeu um prazo de cinco dias para que Edna apresente defesa e indique as testemunhas que tiveram que ser ouvidas.

Caso isso não aconteça nesse prazo, ele vai encaminhar um relatório ao presidente do parlamento, vereador Chico 2000 (PL), para que dê seguimento ao processo.

“Hoje a defesa dela irá receber o relatório geral, dando a eles vistas ao processo por cinco dias. Ou seja, recebe o processo hoje, tem até sexta-feira para ficar com o processo em mãos. Se eles quiserem se manifestar no processo, pode apresentar nesses cinco dias. Não querendo, a partir de segunda-feira eu devo concluir e entregar para o presidente. Caso eles resolvam fazer a defesa resolva apresentar alguma testemunha nesses cinco dias iremos anexar ao processo”, explicou.

No ano passado, Edna teve o mandato cassado por quebra de decoro parlamentar com a acusação de apropriação indébita da verba indenizatória de sua servidora. Ela conseguiu anular o processo na justiça, no entanto, menos de dois meses depois um pedido similar foi protocolado com a mesma denúncia.
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet