Olhar Direto

Sábado, 15 de junho de 2024

Notícias | Política BR

NA MADRUGADA DE DOMINGO

Amália Barros sofreu parada cardiovascular durante intervenção cirúrgica para liberar fluxo de sangue ao fígado

Foto: Câmara dos Deputados

Amália Barros sofreu parada cardiovascular durante intervenção cirúrgica para liberar fluxo de sangue ao fígado
Internada desde o dia 1º de maio no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, a deputada Amália Barros (PL), faleceu após sofrer uma parada cardiovascular, durante intervenção cirúrgica de risco com equipe médica dos Estados Unidos (EUA), para tentar liberar o fluxo sanguíneo para o fígado, que apresentava sinais de falência. A morte, conforme fontes do Olhar Direto, foi confirmada pouco após a meia-noite (horário de Mato Grosso).


Leia também
Amadrinhada por Michelle Bolsonaro, Amália ganhou notoriedade política ao conseguir aprovar lei que leva seu nome

Nos últimos dias, Amália, que já havia retirado um rim quando mais jovem, apresentava quadro de disfunção hepática grave, disfunção renal em diálise e alteração na coagulação sanguínea com tendência a sangramentos. Conforme divulgado pelo OD no sábado (11), a equipe médica que acompanhava Amália passou a avaliar a possibilidade de transplante de fígado, caso as complicações vasculares (trombose em artérias) não fossem resolvidas.

Desde que foi internada, Amália precisou passar por uma série de intervenções cirúrgicas. A primeira foi necessária para a retirada de um nódulo no pâncreas. Na quinta-feira (09), ela passou por um procedimento adicional de radiointervenção - especialidade médica, antiga subespecialidade da Radiologia, que se utiliza de procedimentos minimamente invasivos guiados pelos diferentes métodos de imagem para diagnosticar e tratar doenças em praticamente todos os órgãos do corpo humano.

Durante os dias de internação, Amália passou o maior tempo em coma induzido. A parlamentar chegou a ser extubada, mas apresentou quadro de agitação e delírios, voltando a ser entubada para tentativa de recuperação.

A equipe médica que ficou responsável pela deputada inclui a médica Ludhmila Hajjar, cardiologista e intensivista da Rede D'Or, e Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, cirurgião do aparelho digestivo da mesma rede.
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

xLuck.bet - Emoção é o nosso jogo!
Sitevip Internet