Olhar Jurídico

Segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Notícias / Criminal

Retratação sobre esquema de Silval deve livrar ex-diretor da City Lar de condenação por falso testemunho

Da Redação - Arthur Santos da Silva

20 Abr 2017 - 11:26

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Retratação sobre esquema de Silval deve livrar ex-diretor da City Lar de condenação por falso testemunho
A retratação de Florindo José Gonçalves, ex-diretor jurídico da City Lar, no autos das ações penais provenientes da Operação Sodoma, que investiga esquemas para desvios de dinheiro liderados pelo ex-governador Silval Barbosa, deve livrá-lo de uma condenação por falso testemunho.
 
Leia mais:
Dono da City Lar tentou barrar delação por fraudes em benefícios, afirma ex-funcionário


Extinção de punibilidade será considerada desde que Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal, considere suficiente as informações repassadas por Florindo em audiência realizada na última quarta-feira (19).
 
O ex-diretor da City Lar foi acusado de ter mentido a Justiça no processo proveniente da Operação Sodoma, em sua primeira fase. A referida operação versa sobre um suposto esquema para concessão de incentivos fiscais ao empresário João Batista Rosa liderado pelo ex-governador Silval Barbosa.
 
Batista, dono da Tractor Partes, afirmou que entregou irregularmente a quantia de R$ 2,6 milhões para obter incentivo no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic). Além de Barbosa, os ex-secretários Marcel de Cursi e Pedro Nadaf teriam exigido o pagamento.

No depoimento dado no dia 1º de fevereiro de 2016, Florindo Gonçalves afirmou que tinha encontrado com o empresário João Batista Rosa (delator do esquema) e o ex-secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, para tratar sobre vendas de aparelhos de ar-condicionado para empresas do ex-secretário.
 
No entanto, as delações e investigações apontaram que a reunião seria para Nadaf tentar impedir João Rosa de denunciar a organização criminosa, que atuava na gestão de Silval Barbosa com fraudes à concessão de benefícios fiscais do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic).
 
Em sua retratação, Florindo confirmou que tentou impedir o contato de João Rosa com a Justiça, A pedido de Pedro Nadaf. O ex-funcionário da empresa explicou ainda que Erivelton da Silva, ex-presidente da City Lar, teve envolvimento na ação para barra João Rosa.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet