Olhar Jurídico

Sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Notícias / Criminal

Comarca de Rondonópolis é campeã em registros de casos de feminicídio

Da Redação - Lázaro Thor Borges

29 Mai 2017 - 08:20

Foto: Ilustração

Comarca de Rondonópolis é campeã em registros de casos de feminicídio
O município de Rondonópolis é a comarca com mais registros de casos de femínicidio em Mato Grosso, segundo dados do próprio Ministério Público de Mato Grosso (MP-MT). De acordo com o levantamento feito continuamente pelo Núcleo de Combate a Violência Doméstica o muncípio possui um número acima da média de casos das outras comarcas. 

Leia mais:
Promotora quer delegacia da mulher 24 horas e ‘tratamento especial’ para mandados de prisão contra agressores
 


De acordo com os número do Ministério Público, Rondonópolis está a frente até mesmo da capital do Estado, com maior número de habitantes. Cuiabá aparece no ranking de registros em 5 lugar, juntamente com mais outras oito comarcas. O município rondonopolitano fica logo a frente de Várzea Grande, com 5 casos no total: dois feminicídios consumados e dois tentatados. Na Capital, dois casos de feminicídio estão sendo acompanhados pelo MPE. Um deles ocorreu no sábado, dia 20 de maio e ceifou a vida da estudante de Direito Dineia Batista Rosa, de 35 anos. 

A morte da estudante reascendeu a discussão sobre a efetividade da aplicação da Lei Maria da Penha. Dineia foi morta pelo ex-namorado, Wellington Fabricio de Amorim Couto, ele já tinha sido condenado anteriormente por estuprar, torturar e assassinar uma ex-namorada que terminou o relacionamento. 

Dineia havia denunciado Wellington no Ministério Público, e havia um mandado de prisão em aberto contra ele desde o dia 31 de março, quase 50 dias antes do crime. Ainda assim, o réu não foi preso e ainda recebeu o direito de responder o antigo crime em regime aberto. Em reportagem publicada na última sexta-feira (26), o Olhar Direto demonstrou como uma sucessão de falhas no sistema de proteção às mulheres permitiu que Wellington conseguisse matar a estudante.


Apesar do caso ter sido considerado uma 'tragédia' por alguns operadores do sistema de proteção, a promotora Lindinalva Rodrigues, uma das representantes do Núcleo de Combate à Violência Doméstica, lembrou que Cuiabá tem tido poucos registros de casos como o que ocorreu no dia 20 de maio. "Em termos de número, nós em Cuiabá não temos muitos casos de feminicídio neste e nos últimos anos, mas a verdade é que em ternos de 'pessoa' esse caso em si nos entristece muito, tendo em vista que é mais uma vida que perdemos", lamentou ela. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet