Olhar Jurídico

Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Notícias / Criminal

Construção da ALMT serviu para desviar recursos, comprar deputados e pagar factoring, revela Silval

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

27 Ago 2017 - 17:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Assembleia Legislativa de Mato Grosso

Assembleia Legislativa de Mato Grosso

Em delação premiada firmada junto a Procuradoria Geral da República, o ex-governador do Estado Silval da Cunha Barbosa revela ter atuado, ao lado de José Riva, Mauro Savi e Romoaldo Junior na compra de deputados para garantir a formação da mesa diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) em 2002 e em 2014. Ainda, revela que a construção da atual sede da Casa de Leis, no Centro Político Administrativo (CPA), serviu para gerar desvios milionários que foram parar nos bolsos do empresário Valdir Piran.

Leia mais: 
Família Barbosa firmou 4 delações de 150 depoimentos e devolverá R$ 76 milhões aos cofres públicos


Narra o ex-governador que logo após ser eleito deputado Estadual, em 2002, encabeçou articulação para a constituição da mesa diretora ao lado do então deputado José Geraldo Riva. “A maioria dos deputados recebeu vantagens indevidas para votar na mesa diretora, sendo que os valores pagos para os deputados da época geralmente se referiam a quitação de dívidas de campanha eleitoral. Para alguns as entregas eram em dinheiro”, narrou Silval.

Os valores eram levantados “na maior parte das vezes” com o empresário do ramo de factoring Valdin Piran, hoje réu na “Operação Sodoma 5”, que já na época tinha conhecimento das ilicitudes praticadas na Casa de Leis.

O dinheiro que pagaria o empréstimo com Valdir Piran era retirado do orçamento da própria AL, ”através de serviços que não eram executados”.

Prédio da AL:

Silval Barbosa ainda traz grande revelação: a construção da atual sede da ALMT, no Centro Político Administrativo, serviu para gerar “muito retorno para os pagamentos das dívidas das factorings”.

Dos recursos empregados na obra da construção da AL “retornava para a mesa diretora cerca de 10% a 15%, se recordando também que nos termos aditivos era bem maior, retomando de 30% a 50 %, sendo que quem entregava os valores era o Sr. Anildo Lima Barros, responsável pela empresa que construiu a ALMT, sendo que os valores eram entregues para José Riva, que os repassava para os deputados ou efetuava os pagamentos de dívidas dos deputados”, narra Silval Barbosa.

O delator conta, adiante, que chegou a acompanhar algumas destas entregas de dinheiro feitas por José Riva a seus colegas. Os valores variavam de um deputado para outro, “mas em média era de R$ 150.000,00”.

Governo Subsidiando: 

Não bastando desviar da construção da sede da Casa de Leis, o próprio Governo do Estado à época “suplementava o orçamento da ALMT, exatamente para que tais pagamentos fossem realizados, sabendo na época o governador do Estado (Blairo Maggi) tinha ciência que a suplementação seria para os pagamentos de vantagens indevidas aos deputados”. Em contrapartida, Blairo teria governabilidade.

Biênio 2015/2016:

Já em 2014, começou uma disputa para a eleição da mesa diretora da ALMT para o biênio 2015/2016. Entre os deputados Estaduais na disputa estavam Mauro Savi e Romoaldo Junior. Segundo Silval, ambos reclamaram (em momentos distintos) que estavam sem dinheiro para pagar o apoio dos deputados.

“O colaborador conversou com os dois, dizendo que eles estavam errados em disputar um contra o outro, que eles teriam que se unir, pois do contrário iriam perder a disputa da mesa, sendo que no mês de dezembro de 2014 eles resolveram se unir para conseguir a Presidência e Primeiro Secretário. Após combinarem eles procuraram o colaborador pedindo ajuda financeira para pagar os deputados em troca dos votos, sendo que eles diziam que precisavam de R$ 8 a R$ 10 milhões para pagar os deputados e conseguir a mesa”, narra Silval. 

25 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Th Dr José Gualberto Muniz, CSsR
    29 Ago 2017 às 16:19

    Olá Senhor Descrente, sou dos anos 50, e nos anos 70 os vereadores eram voluntário para trabalhar um dia da semana para o país (município), e eram felizes, pois conversávamos de ética social, e de moral para o individuo no seio da família brasileira eramos críticos solidários e fraternal para o nosso Estado e o país, infelizmente agora o sangue corruptível e destruidor avança pelo corpo do Brasil, qual é o melhor Remédio para acabar com este mal????? descrente 27 Ago 2017 às 18:23 Por isso mesmo que defendo o fim das câmaras de vereadores e das assembleias legislativas. Servem somente para chantagear o executivo para receber propina em troca de apoio. No mais não fazem nada, não servem para nada. Procurem em suas memórias alguma lei importante feita pela assembléia. Acho que ninguém terá uma lembrança. Mas gastam bilhões em cada ano. Extinção já.

  • pantaneiro
    28 Ago 2017 às 16:05

    kkkkk, só o prédio da Assembleia? Hummmmmm... e aquele suntuoso ao lado do Fórum.........

  • pantaneiro
    28 Ago 2017 às 16:05

    kkkkk, só o prédio da Assembleia? Hummmmmm... e aquele suntuoso ao lado do Fórum.........

  • pantaneiro
    28 Ago 2017 às 16:05

    kkkkk, só o prédio da Assembleia? Hummmmmm... e aquele suntuoso ao lado do Fórum.........

  • JOSE NILDO
    28 Ago 2017 às 08:57

    TOMO É FERRADO COM ESSES POLÍTICOS UM MS LADRÃO QUE OUTRO

  • marta
    28 Ago 2017 às 08:36

    Já estou quase virando fã do Silval pela coragem de contar a verdade e mostrar a quem são os nossos políticos . Que venham mais corruptos arrependidos como Silval e Joesley para ver se o povo acorda .

  • Ptolomeu
    28 Ago 2017 às 08:00

    O buraco é tão grande que nunca acaba assunto para delatar! Vôte.

  • Leonora
    28 Ago 2017 às 07:53

    Realmente todos desconfiavam disso, desde a empreiteira, menos os políticos.

  • amiga
    28 Ago 2017 às 07:42

    TUDO ISSO JÁ SABEMOS, O QUE QUEREMOS SABER NA DEVOLUÇÃO DOS VALORES COMO POR EXMPLO 76 MILHÕES DO SILVAL PARA ONDE VAI ESSE DINHEIRO?

  • jorge luiz
    28 Ago 2017 às 07:22

    Confio no Riva. Uma familia integra, honesta. O que se vê são acusações falsas sem provas de uma pessoa que esta fazendo de tudo pra sair da cadeia. Assim como a mídia golpista querendo incriminar nosso prefeito. Mas sabemos que a justiça será feita e tudo será esclarecido. Força Riva e Emanuel. O povo estará sempre do seu lado.

Sitevip Internet