Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 15 de abril de 2021

Notícias / Pecuária

UM MILHÃO

Conhecimento técnico é o maior entrave da ovinocultura em Mato Grosso

Da Redação – Viviane Petroli

15 Jun 2014 - 10:10

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Conhecimento técnico é o maior entrave da ovinocultura em Mato Grosso
A falta de conhecimento técnico, cultura e organização são os maiores entraves para o desenvolvimento da ovinocultura em Mato Grosso. Hoje, o Estado conta com um rebanho ovino de mais de um milhão de cabeças, das quais aproximadamente 30% são matrizes.

Até o ano passado Mato Grosso possuía em torno de três mil criadores de ovinos. Estima-se que o Brasil possua um rebanho de 17,7 milhões de cabeças de ovinos. O maior criador do país é o Rio Grande do Sul.

Leia também
Embarques de commodities para países que jogam em Cuiabá caem em 2014
Valorização do litro do leite ao produtor impacta no bolso do consumidor

“A cadeia da ovinocultura cresce a passos lentos em Mato Grosso, por não ser uma tradição aqui. Além disso, há a dificuldade dela não ter conseguido ainda se organizar”, comenta o secretário da Associação Mato-grossense dos Criadores de Ovinos (Ovinomat), Hernandes Piccoli.

Segundo Hernandes, os ovinos se adaptam facilmente ao clima mato-grossense. “Todo o Estado tem criadores, mas são poucos os que encaram a criação com profissão e rentabilidade”.

Hernandes e seu pai Nelson Piccoli criam em Sorriso 2.500 cabeças de ovinos das raças Santa Inês, Dorper, Lacaune, White Dorper e Texel. “A maior dificuldade para a ovinocultura avançar em Mato Grosso é quanto ao conhecimento do procedimento correto de se criar o cordeiro. Não dá para criar apenas no pasto. É preciso uma padronização da carne, da venda e de frigoríficos de ovinos, que hoje temos apenas um e ainda terceirizado”, salienta Nelson.

Hoje, conforme Nelson, o quilo do ovino vivo posto a venda sai a R$ 6.


(Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar)

Frigoríficos

A instalação de um ou mais frigoríficos, na opinião de Hernandes, seria uma alavancada para o setor. “Porém, é preciso organização dos criadores também. O conhecimento técnico é muito baixo e falta mão de obra especializada”, pontua.

De acordo com o secretário da Ovinomat, uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Mato Grosso (Senar-MT) está sendo firmada para a formação de profissionais no segmento de ovinos.

Consumo

O consumo de carne ovina tem crescido em Mato Grosso, frisa Hernandes. O principal impulsionador são as cozinhas gourmets. “A pessoa prova, acaba gostando e passar a consumir mais. A cozinha gourmet despertou este interesse”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet