Olhar Direto

Notícias / Cidades

Bando faz gerente de fazenda e família reféns por três dias e rouba 400 cabeças de gado

Da Redação - Wesley Santiago

02 Jan 2019 - 16:15

Foto: Reprodução/Ilustração

Bando faz gerente de fazenda e família reféns por três dias e rouba 400 cabeças de gado
O gerente de uma fazenda no município de São José do Xingu (952 quilômetros de Cuiabá) e sua família foram feitos reféns por três dias durante o roubo de aproximadamente 400 cabeças de gado. O crime ocorreu em 26 de dezembro do ano passado, mas só foi divulgado nesta quarta-feira (02).

Leia mais:
Caseiro, esposa e mais dois são presos após furtarem cabeças de gado de fazenda
 
A vítima relatou à polícia que no dia do crime cinco homens fortemente armados apareceram e renderam todos que estavam na propriedade, amarrando adultos e deixando as crianças soltas.
 
O gerente ainda contou que os bandidos alimentaram as vítimas com comida que eles próprios faziam. Eles estavam com fuzis e a todo momento xingavam o proprietário da fazenda. Além disto, ele também disse ter ouvido barulho de vários caminhões e carretas chegando para fazer a retirada do gado.
 
Após levaram todos os animais, os bandidos ameaçaram os reféns dizendo que não eram para registrar o caso na polícia antes de quarta-feira. Além do gado, foram levados dois cavalos, motosserras e uma bateria de trator.
 
O roubo foi registrado na Polícia Militar e posteriormente encaminhado à Delegacia de Polícia Civil do município de São José do Xingu. (Com informações da Agência da Notícia)

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Paulo
    03 Jan 2019 às 13:56

    Um bom trabalho de investigação resolve esse caso. Muito difícil não deixar pistas. Esse tipo de crime não pode e não deveria existir. Lugar de bandido é na cadeia ou no cemitério.

  • Elias
    03 Jan 2019 às 10:57

    Deixem de ser besta que governo.nenhum vai mudar isso ai..nunca vai acabar...roubar e se dar bem as custas do.outro esta no sangue do nosso povo...virou cultura,só acaba se o país acabar..o que não vai.acontecer...

  • joao
    03 Jan 2019 às 10:25

    Jair foi o nome que ele disse, seja o que for, pelo visto você foi eleitor do 13, pelo jeito tem pouco conhecimento ou não sabe nada, e se você ainda não sabe, Lula está preso, seu babaca.

  • Josiane
    03 Jan 2019 às 00:00

    Jair meu querido, você leu certinho a reportagem? O crime aconteceu o ano passado e somente registrado na polícia este ano, ou seja ainda era governo vermelho amor. Como pode ter pessoas assim e ainda quer um país melhor? mude suas próprias atitudes primeiro. Estamos falando de vidas reféns de marginais.

  • Bacana
    02 Jan 2019 às 21:24

    Vai sim Jair... Vai tentar resolver a porquice que vc fez nas eleicoes passadas.. e pior que ainda nao aprendeu... aceita e nos ajuda

  • António da Silva
    02 Jan 2019 às 21:20

    Nenhum..governo no mundo tem como prevenir pu esta presente..em todos s lugares p evitar esse tipo ou outro de roubo ou assaltos.. Agora um país com leis..durissimas e sem caber recurso em certos tipos de crines DUVIDO QUEM SE ARRISQUE !!!!... É O QUE EM BREVE VEREMOS....E SÓ AGIARDAR..E VERAM

  • Milton Ribeiro
    02 Jan 2019 às 21:13

    Jair, primeiro ele tem que repor parte do roubo do PT. Depois tentar corrigir a cagada que fizeram.....aí sim começar a administrar, primeiro lavar a sujeira!

  • Jair
    02 Jan 2019 às 17:24

    Uai o Bolsonaro nao ia resolver isso

  • Antonio Cesar
    02 Jan 2019 às 16:40

    Infelizmente estamos tão acostumados a este tipo de notícia que isto parece banal. Mas pensem na situação destas pessoas como refens por 3 dias, que terror, isso é um crime hediondo e essas pessoas deveriam pegar no mínimo prisão perpétua.

Sitevip Internet