Olhar Direto

Terça-feira, 02 de junho de 2020

Notícias / Cidades

Em espera por julgamento, tenente Ledur tenta promoção no Corpo de Bombeiros

Da Redação - Vinicius Mendes

28 Fev 2019 - 11:27

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Em espera por julgamento, tenente Ledur tenta promoção no Corpo de Bombeiros
A tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur Souza Dechamps, que é acusada de torturar e causar a morte de Rodrigo Claro em novembro de 2016, em um dos treinamentos aplicados por ela no curso dos Bombeiros, irá passar por uma inspeção de saúde no próximo dia 28 de março, como requisito para tentar ser aprovada para uma das 41 vagas para o posto de capitão oferecidas neste primeiro semestre de 2019.
 
A tenente chegou a ficar dois anos sem trabalhar, adiando também sessões, sucessivas vezes, em decorrência das licenças médicas que recebeu. Neste período ela chegou a ficar agregada, o que significa que a contagem do tempo de serviço para que o militar suba de patente é paralisado. Mesmo com isso ela foi considerada apta a se candidatar a uma vaga de capitão.
 
Leia mais:
Juiz nega pedido de tenente Ledur para anular inquérito sobre morte de aluno soldado
 
As informações foram publicadas no Boletim geral Eletrônico do Corpo de Bombeiros do último dia 21. Consta no documento que para o posto de Capitão QOBM há 41 vagas e nove candidatos possuem o tempo mínimo necessário para concorrer á promoção. Um desses candidatos é a tenente Izadora Ledur.
 
Em decorrência disso Ledur, e os outros candidatos, deve se submeter a uma inspeção de saúde, que é requisito obrigatório ao bombeiro militar que busca concorrer à ascensão hierárquica na carreira militar. A inspeção de Ledur deve ocorrer no dia 28 de março, no posto médico da Guarnição de Cuiabá do Exército Brasileiro
 
Também foi estabelecido que, caso o militar seja portador de alguma doença ou se encontre em tratamento médico, além dos documentos exigidos e obrigatórios, deverá levar também atualizados os seguintes: exames laboratoriais, exames de imagens com laudo e laudo médico do profissional especialista que o assiste declarando a situação de saúde
 
Aguardando julgamento
 
O juiz Wladymir Perri, da 11ª Vara Criminal Especializada da Justiça Militar, agendou para o próximo dia 16 de abril o interrogatório da tenente Izadora Ledur Souza Dechamps. O magistrado também marcou a data para serem ouvidas as testemunhas.
 
O magistrado definiu que a sessão de instrução para o interrogatório ocorra às 13h30, no Fórum de Cuiabá. No dia anterior, 15 de abril, devem ser interrogadas as testemunhas arroladas pela defesa.
 
O caso
 
Rodrigo Patrício Lima Claro, de 21 anos, ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e faleceu por volta de 1h40 do dia 16 de novembro de 2016. Ele teria sido dispensado no final do treinamento do curso dos bombeiros, após reclamar de dores na cabeça e exaustão. O Corpo de Bombeiros informou que já no Batalhão ele teria se queixado das dores e foi levado para a policlínica em frente à instituição.
 
Ali, sofreu duas convulsões e foi encaminhado em estado crítico ao Jardim Cuiabá, onde permaneceu internado em coma, mas acabou falecendo. O corpo de Rodrigo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, mas análise preliminares não apontaram a real causa da morte e por isso exames complementares foram realizados, de acordo com a perícia criminal.

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Paulo crente
    01 Mar 2019 às 12:47

    Sem mimi de pobre preto esse papo não cola mais.

  • Rosângela
    01 Mar 2019 às 09:31

    Sou prima daquele deficiente mental e auditivo que não ouviu a ordem emanada pelos 4 PMs, por isso o policial se achou no direito de dar um tiro fatal no coração dele, vindo falecer instantaneamente, o fato ocorreu em 2014, e o pior que ainda houve muitos colegas desses PMs defendo-os, no meio dos servidores públicos há muito corporativismo, no meio militar mais ainda, tanto que todos despreparados estavam defendo os colegas que erraram nesta execução sumária, até hoje os policiais estão prestando seus “bons serviços a sociedade”, mas nada acontecerá pelo fato da vítima ser deficiente, negra, pobre e moradora da periferia, tudo está registrado nestes links reportagem e vídeo, por isso eu peço a este conceituado meio de comunicação uma reportagem para que providências sejam tomadas no sentido de garantir a justiça e a verdadeira segurança da população para que não tenhamos mais um policial DESPREPARADO achando que pode matar quem bem entende e o pior: saber que não irá acontecer de reprimenda.. : http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=354334¬icia=policial-militar-mata-jovem-deficiente-mental-e-auditivo-que-teria-reagido-a-abordagem http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2014/01/deficiente-auditivo-e-morto-pela-pm-durante-abordagem-em-cuiaba.html

  • GABRI
    01 Mar 2019 às 08:37

    ate esses dias tava quase morrendo de depressão agora que a poeira baixou ja ta boa ate pedindo promoção. Isso significa UM BOM ADGOVADO por tras. Que absurdo, fico triste pensando na revolta da familia do rapaz que perdeu a vida por causa dessa torturadora

  • Lady
    28 Fev 2019 às 22:14

    É muita falta de respeito mesmo com toda família, uma mulher dessa ainda ter direito a algum cargo. Deveria ser exonerada do cargo e ir vender picolé na rua para dar valor na profissão e trabalhar com respeito e dignidade a vida humana. Não é isso que os bons profissionais fazem???

  • Rosa
    28 Fev 2019 às 19:41

    Deveria ter sido EXONERADA e nem deve per promovida.

  • José
    28 Fev 2019 às 16:38

    Governador Mauro Mendes, é imperioso EXPULSAR da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros os denunciados pelas mortes do Soldado Abinõao Oliveira, que ocorreu em 2010, e do Jovem Rodrigo Claro, que ocorreu após participação de aula prática do Curso de Formação de Bombeiro Milirar em 2016. Espero, ainda, que o Poder Judiciário condene os envolvidos nos aludidos casos. Chega de impunidade neste Estado!

  • Xavier
    28 Fev 2019 às 16:01

    Cadeia Neles URGENTE.... #AcordaBrasilUrgente.

  • JAIME
    28 Fev 2019 às 15:49

    NAO VAI DAR EM NADA ELE FAZIA ISSO DIRETO TEM AS COSTA QUENTE E AINDA VAO PROMOVER ELE AGUARDEM TA DANDO UMA DE LOUCA E VAO APOSENTAR PRA NAO EXCLUIR ELA

  • bruna lima
    28 Fev 2019 às 15:40

    que abusrdo!cadeia nesta torturadora! é um absurdo se isso acontecer!

  • Raimundo Severino.
    28 Fev 2019 às 15:39

    O ideal,seria a punição e, o afastamento,ou mesmo ir para reserva.

Sitevip Internet