Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Em 20 anos, somente 19 deputados não teriam recebido propina, segundo suposta delação; veja

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

14 Out 2019 - 11:51

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Em 20 anos, somente 19 deputados não teriam recebido propina, segundo suposta delação;  veja
O documento apontado como base de sustentação para tentativa de colaboração premiada do ex-deputado estadual José Riva, que ganhou os holofotes nesta semana, indica que o suposto esquema de pagamento de propina iniciado em 1995 começou beneficiando 17 deputados da 13ª legislatura e chegou ao ápice em 2011, ano em que 100% dos parlamentares da casa foram corrompidos. O suposto termo vazado na imprensa não está homologado pela justiça. 

Leia também:
Riva apresenta 38 nomes que receberam R$ 175 milhões de mensalinho em 20 anos; veja lista


Segundo levantamento feito pelo Olhar Direto, apenas 19 deputados que foram eleitos para representar o povo mato-grossense nas eleições de 1994, 1998, 2002 2006 e 2010, não receberam o pagamento indevido. Vale lembrar que em cada legislatura são eleitos 24 deputados. Riva citou deputados tanto pelo recebimento de "mensalinho" quanto por dinheiro em troca de venda de votos para eleições da Mesa Diretora. 

Dos 24 parlamentares eleitos em 1994 (13ª Legislatura), não foram citados por Riva, como beneficiados no esquema de corrupção: Wilson Santos (PSDB), Serys Slhessarenko (PRB), Chico Daltro (PRB), além de Renê Barbour, Luiz Soares,  José Esteves de Lacerda Filho e Joaquim David dos Santos.

Em 1998, com a eleição da 14ª legislatura, o número de deputados que não foram citados subiu para 9. São eles: Serys Slhessarenko, José Carlos do Pátio (SD), Jair Mariano, Chico Daltro, Wilson Celso Teixeira (Dentinho), Moacir Pires de Miranda Filho, Carlos Brito, Gilney Viana e Renê Barbour.

O número de deputados que passaram a aderir o mensalinho, segundo Riva, com a chegada da 15ª legislatura, em 2002, subiu para 17. Os que não receberam, conforme o documento foram: Ságuas Moraes (PT), Vera Lúcia Araújo (PT), Carlos Brito, Chico Daltro, José Antônio de Ávila,  José Carlos de Araújo e Renê Barbour.

A lista de parlamentares que receberam propina aumentou em 2007, legislatura que teve apenas quatro deputados eleitos que não entraram no esquema, segundo Riva. São eles: José Carlos do Pátio, Otaviano Pivetta (DEM), Ságuas Moraes e Juarez Costa (MDB) 

Já em 2010, segundo o documento, todos os 24 deputados da 17ª legislatura receberam o ‘mensalinho’, que durou para alguns até 2015.

O Olhar Jurídico somou os valores e produziu um ranking com os maiores beneficiados com as propinas. Em primeiro está Riva, seguido por Mauro Savi e Gilmar Fabris. Os fatos tiveram início em 1995 e alcançaram montante aproximado de R$ 175 milhões em 2014. Confira a lista completa aqui.

17 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Waldecir Bosco
    15 Out 2019 às 16:00

    Pelo visto funcionava assim: Deputados com mesmo discurso politico não recebiam mensalinho pois tinha cargos. Os de "oposição" votavam os projetos com dinheiro da mensalidade já reservada. Ou seja, tudo igual nós ja vimos a mais de 30 anos...

  • jader
    15 Out 2019 às 12:59

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Marluce Gonçalves
    15 Out 2019 às 11:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • NILDO
    15 Out 2019 às 07:33

    E quais serão as consequências jurídicas disso...provavelmente nenhuma...

  • CHIRRÃO
    14 Out 2019 às 17:39

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Carolina Dias
    14 Out 2019 às 16:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • cidão
    14 Out 2019 às 15:51

    Vai ter ex deputado que vai cobrar pela parte que não recebeu e querer explicação do porque ter ficado de fora. Literalmente levou uma rasteira. kkkkkkk

  • Ares
    14 Out 2019 às 15:20

    Já não tá bom o arraso a destruição que o pt fez no Brasil? Tem um vídeo de um senador onde fala aberta e claramente que o pt roubou 123 bilhões do fundo da pensão dos aposentados e falou que se fosse falar da roubalheira do pt ia passar a noite toda falando ainda seria pouco

  • Juinense
    14 Out 2019 às 14:45

    Deve ser esse o tal do "decoro" que eles tanto falam que tem que ter para ser dessa distinta casa de leis.

  • Elisa
    14 Out 2019 às 14:35

    É pra isso que serve imposto no Brasil: para nossos políticos comprarem casa luxuosa, adquirirem carros caríssimos, viagens internacionais, e todo tipo de ostentação possível. Não tenho nada contra rico, mas desde que não seja com dinheiro do crime.