Olhar Direto

Segunda-feira, 08 de agosto de 2022

Notícias | Cidades

Posição estratégica

Presidente de concessionária quer transformar aeroporto de Cuiabá em hub da América do Sul

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Presidente de concessionária quer transformar aeroporto de Cuiabá em hub da América do Sul
O diretor presidente da Centro-Oeste Airport [concessionária que irá assumir a administração do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá], Marco Antonio Migliorini, afirmou que o desejo da empresa é transformar o terminal mato-grossense em um hub [designação dada ao aeroporto utilizado por uma companhia aérea como ponto de conexão para transferir seus passageiros/carga para o destino pretendido] da América do Sul.

Leia mais:
Receita Federal continua a ser ‘pedra no sapato' para início de voo entre Cuiabá e Bolívia; veja fotos
 
“Entendemos que o Aeroporto Marechal Rondon será um hub da América Latina, pela sua potencialidade e posição estratégica dentro do continente. Acreditamos muito no Estado, que está em pleno desenvolvimento. Estudamos muito e sabemos do potencial deste terminal e também dos regionais”, frisou o presidente em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.
 
Segundo ele, a questão mais importante que a concessionária dará para as companhias é a garantia de infraestrutura física e segurança operacional para receber novas rotas. A segurança foi colocada em primeiro lugar. 
 
“Cuiabá é um grande hub do Estado e também Centro-Oeste. Conversamos com a Receita Federal, nossa equipe técnica está à disposição para agilizar este processo de internacionalização. Queremos adiantar o máximo possível. Existem os prazos e temos nossas responsabilidades. Acredito que os entendimentos estão salutares, vai caminhar para um sucesso rápido”, pontuou o presidente.
 
Marco Migliorini ainda revela que conversas são feitas periodicamente com empresas de outros países, com a intenção de que, possivelmente, empresas estrangeiras possam começar a operar viagens para Cuiabá. “O Brasil está sob os olhos do mundo. Temos parceiros em diversos locais, nossa empresa tem negócios na América do Sul. Estamos abertos para qualquer entendimento. Sabemos do potencial”.
 
Transição
 
A Centro-Oeste Airport (COA), empresa que assumirá a gestão do aeroporto de Cuiabá e outros quatro do interior, continua a transição para assumir o comando dos terminais. A expectativa é que a partir de janeiro tudo já esteja sob o controle da concessionária. No primeiro momento, as mudanças serão mais visuais e estruturais, conforme a assessoria de imprensa.
 
Funcionários já foram contratados e estão recebendo treinamento para atuar no aeroporto de Cuiabá. Os concursados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) tiveram a oportunidade de escolher se querem ser remanejados para outros órgãos ou migrarem para a empresa privada. Outros colaboradores ainda deverão ser recrutados pela Centro-Oeste Airport.
 
Dentre as melhorias que os operadores terão que implementar nos terminais a curto prazo estão, por exemplo, a melhoria da climatização, acesso à internet gratuita (wi-fi) nos terminais, adequação de banheiros e atualização de sinalização aeroportuária.
 
Durante os cinco primeiros anos de concessão, será investido R$ 386,7 milhões nos quatro aeroportos do Bloco Centro-Oeste. O investimento previsto ao longo das três décadas é de R$ 770 milhões. Com a concessão de 30 anos, é esperado que o número de passageiros ao ano triplique até 2049.
 
Os quatro aeroportos do Estado movimentam juntos cerca de 3,2 milhões de passageiros por ano, sendo que o maior fluxo é do Marechal Rondon, que em 2018 encerrou com movimentação de 3 milhões de embarques e desembarques. O aeroporto de Sinop recebe em média 150 mil passageiros ao ano, o de Alta Floresta 110 mil e de Rondonópolis 90 mil.
 
Impasse com a Receita
 
A Receita Federal continua a ser apontada como a ‘vilã’ para que a novela envolvendo a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon continue. Diversas exigências foram feitas, sendo que a última envolve a ampliação de uma das salas do órgão de 51 m² para 180 m². Para tentar destravar a questão, a Câmara Setorial Temática (CST) Faixa de Fronteira encabeçou os trabalhos e pretende fazer uma pressão política para que, finalmente, a cidade volte a ter o voo para Santa Cruz de La Sierra.
 
A situação sobre a Receita Federal também é confirmada pelo superintendente da Infraero em Cuiabá, Laelson Augusto do Nascimento. Ele resumiu ao Olhar Direto que quatro dos três órgãos necessários já deram o aval para a internacionalização do aeroporto de Cuiabá.
 
Receita Federal
 
A Delegacia da Receita Federal do Brasil em Cuiabá informou ao Olhar Direto recentemente que intimou oficialmente a administradora do Aeroporto Mal. Rondon quanto às providências necessárias para as adequações estruturais que permitam o alfandegamento de passageiros no terminal, em  conformidade as normas que regem a matéria .
 
"Assim sendo, estamos aguardando tais providências para prosseguimento das ações necessárias por parte da RFB. Reiteremos que o compromisso da nossa instituição é no sentido de contribuir com a melhoria do ambiente de negócios e a competitividade do País, em especial no nosso Estado", finaliza a nota.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x