Olhar Direto

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Notícias / Política MT

Selma critica Congresso por abrir brecha para aumento de fundo eleitoral

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

29 Nov 2019 - 15:54

Foto: Assessoria

Selma critica Congresso por abrir brecha para aumento de fundo eleitoral
A senadora Selma Arruda (Pode) criticou o Congresso Nacional por derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro (PSL), abrindo brecha para o aumento do fundo eleitoral no próximo ano e garantiu que continuará votando contra o uso de mais dinheiro público para financiamento de campanhas políticas.  

Leia também
Derrubada de vetos deve frustrar redução de R$ 1 bilhão no déficit orçamentário para 2020


O veto feito pelo presidente da República ao artigo da minirreforma eleitoral, não permitindo que o valor do fundo eleitoral tivesse como teto o total de emendas da bancada estadual, que em 2020 serão de R$ 6 bilhões, cerca de R$ 5,3 bilhões a mais do que os R$ 1,7 bilhão que atualmente abastece os partidos.

Em sessão conjunta do Congresso na última quarta-feira (27), os parlamentares derrubaram o veto, deixando aberta a possibilidade do aumento do fundo eleitoral. Por Mato Grosso, somente a senadora Selma Arruda, além dos deputados federais Nelson Barbudo (PSL) e Emanuelzinho (PDT) votaram a favor da manutenção do veto presidencial, não concordando com o aumento de dinheiro público distribuídos aos partidos para campanha.

Já o senador Wellington Fagundes (PL) e os deputados federais Carlos Bezerra (MDB), Leonardo Albuquerque (SD), Juarez Costa (MDB), Neri Geller (PP) e Rosa Neide (PT) votaram pela derrubada do veto presidencial.

O restante dos vetos do presidente devem ser votados em sessão do Congresso Nacional já na próxima semana. Para valer o aumento do fundo nas eleições municipais de 2020, os deputados e senadores precisavam analisar os vetos até o dia 4 de outubro. O assunto acabará sendo decidido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“É lamentável a aprovação de uma proposta que dificulta a transparência e a fiscalização dos recursos dos fundos partidário e eleitoral. Em meio à crise que vivemos no nosso País, com diversas áreas em situação precária, o Congresso aprova uma proposta que aumenta os recursos públicos para os partidos enquanto pessoas morrem nas filas dos hospitais e a marginalidade aumenta a cada dia por falta de dinheiro na saúde e segurança”, disse Selma Arruda em publicação em suas redes sociais.

Nas últimas semanas, presidentes nacionais de partidos como DEM, PT, MDB, Solidariedade e PSB se reuniram para montar uma estratégia com as bancadas no Senado e na Câmara para aumentar o financiamento eleitoral.
 

 

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tchapa e Cruz
    30 Nov 2019 às 11:57

    Na realidade todos somos reféns desse maldito sistema, não aparece um pré destinado para acabar com essa farra.

  • CARLOS GENEROSO LIMA
    30 Nov 2019 às 07:19

    É contra, legal mas pega dinheiro extra no caixa dois, do amigo riquinho, essa aí não engana mais ninguém

  • Nascimento
    30 Nov 2019 às 05:28

    Enquanto nós permitir-mos, eles vão nos fazer de palhaços.

  • patriota brasil
    29 Nov 2019 às 18:03

    Esse monte de partido politico recebendo um monte de dinheiro publico para sustentar suas regalias.querem ser politico se eleger dão seus pulo nada de dinheiro publico. isso tem que acabar.

  • Elias
    29 Nov 2019 às 16:24

    Lógico...ela tem suplente pra financiar a campanha né...mas é muito cara de pau né..meu deus

Sitevip Internet