Olhar Direto

Notícias / Cidades

Cuiabano é preso por morte de jornalista brasileiro no Paraguai a mando do PCC

Da Redação - Fabiana Mendes e Max Aguiar

27 Fev 2020 - 17:50

Foto: Reprodução

Cuiabano é preso por morte de jornalista brasileiro no Paraguai a mando do PCC
O cuiabano Luis Fernando Leite Nunes, 30 anos, foi preso na sexta-feira (21) por suspeita de ter assassinado o jornalista Léo Veras, no dia 12 deste mês, a mando do Primeiro Comando da Capital (PCC). O profissional de comunicação mantinha um site de notícias em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia na fronteira com Ponta Porã (MS), onde ocorreu o crime.  

Leia mais:
Dois casos de possível suspeita de coronavírus são monitorados em Mato Grosso

Nas redes sociais, Luis Fernando ostenta notas estrangeiras, como dólares e pesos bolivianos. Ele também já postou fotos em frente ao Shopping China Paraguai. Seus últimos registros no Facebook foram em meados de 2015, com fotos marcadas por amigos, sendo algumas delas no Paraguai e outras em Cuiabá como, por exemplo, em um jogo do time Unidos do Industriário na Capital mato-grossense. 

De acordo com a polícia, o jornalista Leo Veras jantava com a família, por volta das 20 horas, quando três pistoleiros encapuzados invadiram a residência no bairro Jardim Europa e atiraram várias vezes. Os criminosos usavam pistolas 9 milímetros e um fuzil. A vítima chegou a ser socorrida para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Os bandidos fugiram com um Jeep Cherokee branco. O veículo foi apreendido posteriormente, na mesma operação que prendeu dez pessoas por envolvimento no assassinato do jornalista.

Os brasileiros presos foram identificados como: Fernando Leite Nunes (ex-morador de Cuiabá), Sanção de Souza e Leonardo de Souza Conceição, que não portava documento. Os paraguaios presos são Arnaldo Colmán, de 32 anos, Anderson Rios Vilhalva, de 31, Paulo Sespedes Oliveira, de 40, Oscar Duarte, de 30, Marcos Aurelio Vernequez Santacruz, de 31, e Cintya Raquel Pereira De Leite. Já o boliviano se trata de Juan Vicente Jaime Camaro.

Segundo a Justiça do Paraguai, o jornalista foi morto por informar às autoridades brasileiras sobre a verdadeira identidade de Ederson Salinas Benítez, mais conhecido como “Ryguasu”. Considerado um dos mais importantes 'soldados' do PCC, ele estaria usando documento falso com o nome de Edson Barbosa Salinas quando foi preso em Ponta Porã, após uma briga no trânsito.

A morte de Leo Veras seria uma ordem da facção controlada pelo narcotraficante brasileiro Sergio de Arruda Quintiliano Neto, mais conhecido como “Minotauro”, que está preso no Brasil.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Joana pedra 90
    27 Fev 2020 às 19:46

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet