Olhar Direto

Notícias / Política MT

“Não podemos sair condenando as pessoas antes da verdade”, diz secretário sobre acusação contra presidente do Indea

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

13 Jan 2021 - 11:33

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

“Não podemos sair condenando as pessoas antes da verdade”, diz secretário sobre acusação contra presidente do Indea
Secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda defendeu cautela quanto ao caso de suposto assédio sexual envolvendo Marcos Catão Dornelas, presidente do Indea, órgão subordinado a sua Pasta. Quando questionado sobre eventual punição ao acusado, o gestor afirma que o tema será debatido com o governador Mauro Mendes (DEM).

Leia também:
Mendes critica atuação do Governo Federal para vacinação e diz que tentou comprar doses da Pfizer


“Não podemos sair tomando decisões vitimizando pessoas e condenando outras antes que a gente tenha a verdade. São questões que precisam ser analisadas com muito critério. As pessoas tem o direito à ampla defesa. (o Indea) é um órgão estratégico para o Estado, que vem tendo grandes melhorias. A gente vai se reunir, dar o direito das pessoas se defenderem e tomar a decisão que for melhor para o estado”, disse, ao chegar no Palácio Paiaguás, na manhã desta quarta-feira (13).

Catão foi acusado por uma ex-servidora do Indea, que registrou boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher em novembro de 2020 (o caso só ganhou repercussão agora), quando a suposta vítima pediu exoneração. O assédio sexual teria acontecido em um dos dias em que ela precisou entrar na sala do presidente para repor as garrafas d’água, quando ele passou a dar investidas verbais, realizando também ato obsceno. Mesmo com a situação, a vítima foi trabalhar no dia seguinte, mas só tomou coragem para fazer uma denúncia após relatar ao seu pai o que aconteceu.

Cesar afirma que esse é o primeiro caso de suposto assédio que teve conhecimento envolvendo servidores do órgão. “É muito difícil imaginar se isso é verdade ou mentira. O presidente é um homem de família, já soltou uma nota à imprensa se defendendo, e isso será analisado por todo o governo. Não estou defendendo o que aconteceu, até porque se aconteceu é muito grave. Não posso firmar um julgamento antes de ouvir as pessoas”.

O secretário faz questão de ressaltar que o estado está acima das pessoas e que o Indea tem função primordial para a economia de Mato Grosso. Para ele, é preciso ter uma diretoria que trabalha com tranquilidade, para que o órgão possa entregar um bom trabalho para a população. “Isso que é o principal. Sobre as questões pessoais, cada um irá se defender. Cabe o ônus da prova quem acusa e cabe o acusado ter direito de se defender. Não estou defendendo nenhum dos lados”.

“Exoneração é uma decisão que não é só minha. O melhor é ele ter condições de se defender e resgatar a verdade que ele defende. Se pra isso, o melhor é se afastar, é uma decisão dele também, mas é uma decisão de estado, que será discutida”, completou.

Miranda também comentou sobre possível reparação a vitima por parte do governo, já que ela pediu exoneração justamente pelo suposto assédio. O secretário reforça que tudo depende da investigação policial. “Por isso que se tem boletim de ocorrência, investigação policial e essa moça, se for boa profissional, não vai faltar oportunidade de emprego”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet