Olhar Direto

Notícias / Política MT

Bastidores do Paiaguás

Mendes abre conversas para montar ‘time de secretários’ que disputaria eleição de 2022

Do Redação - Max Aguiar

21 Jan 2021 - 14:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Mendes abre conversas para montar ‘time de secretários’ que disputaria eleição de 2022
O governador Mauro Mendes, para mostrar força política dentro do Democratas e tentar montar um grupo forte de agregadores de votos, está escalando um verdadeiro time de membros do primeiro escalão do Palácio Paiaguás para a disputa das eleições de 2022. 

Leia mais:
Governador diz que MT é o maior em produção bruta e tem uma das piores educações do país

Fontes ligadas ao governador garantem que a principal aposta do partido para uma cadeira na Assembleia Legislativa é o do secretário de Esportes e Cultura, Beto 2x1. Ele é o atual presidente municipal do partido e teria capilaridade política dentro do segmento em que atua há mais de 20 anos. Cantor sertanejo, Beto também seria um nome e rosto conhecido em diferentes camadas da sociedade.
 
Ainda conforme informações de bastidores, além de Beto, o secretário de Educação, Alan Porto, também está na lista de possíveis candidatos ao Legislativo. Outro cotado seria o irmão do ex-senador Cidinho Santos, Wener Santos, que hoje atua na MT-Par
 
Outro que está escalado por Mauro Mendes para buscar uma vaga como deputado estadual é Juliano Jorge Boraczynsk, que está no comando da Companhia Mato-grossense da Mineiração (Metamat). Assim como Wener, ele também chega como uma bagagem política, por ter sido vereador de Alta Floresta e também é irmão do atual suplente de deputado, Romoaldo Júnior (MDB). 

Por último, Mauro teria feito o convite para mais dois secretários, mas estes ainda não responderam se vão ou não disputar a campanha. Mauro Carvalho, atual secretário da Casa Civil e Gilberto Figueiredo, da Saúde. 

Quando questionado, Carvalho sempre diz que não será candidato a nada, mas ele ainda pode ainda escolher ser uma espécie de supersecretário dentro do governo Mauro Mendes nestes dois últimos anos, ou ser um dos indicados para assumir uma das cadeiras do Tribunal de Contas do Estado, se caso houver novos pedidos de aposentadoria. 

Já Gilberto, em 2020, chegou a ser um dos cotados para ser candidato a prefeito de Cuiabá. Por conta da Covid-19 e por ele ser o titular da pasta que está na linha de frente das ações de combate à pandemia, ele recuou.

A escalação do “time” de Mauro com esses possíveis nomes seria uma estratégia para mostrar que seu grupo tem força, principalmente diante de divisões internas dentro do Democratas, que teriam surgido ou ganhado força nas últimas eleições, municipais e suplementar para o Senado.

Além disso, Mauro Mendes teria o nome de Fabio Garcia para indicar a uma vaga de deputado federal. Para voltar a massificar o nome de Garcia, ele deve assumir um escritório para defender a implantação do BRT em Cuiabá. 

Por enquanto, quando os membros do Democratas são questionados sobre a possibilidade, todos recuam e apenas afirmam que a chapa precisa ser montada porque "os outros partidos já estão se movimentando". 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet