Olhar Direto

Quinta-feira, 24 de junho de 2021

Notícias | Política MT

Duas doses

Deputado aponta que apenas 21% dos idosos com mais de 75 anos estão imunizados em MT

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Deputado aponta que apenas 21% dos idosos com mais de 75 anos estão imunizados em MT
Um estudo realizado pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT) mostra que apenas 21,1% dos idosos e 50,5% dos trabalhadores de saúde receberam as duas doses contra o novo coronavírus (Covid-19) e, portanto, estão imunizados contra a doença. O parlamentar defende que a vacinação seja feita nos postos de saúde para que haja agilidade.

Leia também:
Alan Porto diz que solicitação de Mauro é para vacinar de interinos a efetivos e profissionais de apoio
 
Lúdio fez o estudo com base nas resoluções da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), comparadas com o painel de vacinação do Ministério da Saúde. “Não vemos efetividade da vacinação. Mato Grosso ainda está longe de alcançar uma cobertura vacinal que dê proteção à população. Mesmo os grupos prioritários têm, até agora, uma cobertura baixa. A imunidade só é completa 14 dias depois da aplicação da 2ª dose. A vacinação está muito lenta nos grupos da fase 1, mesmo com vacinas disponíveis”, observou Lúdio.
 
No relatório, que considerou os dados disponibilizados até a quinta-feira (8), Lúdio detectou que a cobertura vacinal dos 89.073 idosos a partir de 75 anos é de 21,1%, pois apenas 18.819 receberam a 2ª dose. Se todas as doses disponíveis tivessem sido aplicadas, esse público teria 79,1% de cobertura. Entre os 84.599 trabalhadores da saúde de Mato Grosso, 50,5% já receberam a 2ª dose. Mas essa cobertura vacinal poderia ser de 85% com as doses já disponíveis no estado.
 
De acordo com a assessoria de imprensa, Lúdio avalia que a explicação para essa lentidão está na demora da distribuição das vacinas pelo estado aos municípios, centralização de vacinação e burocracia para agendamento.
 
O deputado recomenda que o governo de Mato Grosso elabore as resoluções com mais rapidez e agilize a distribuição, e que as Prefeituras utilizem a rede de salas de vacinas e a experiência acumulada pelos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), que é referência mundial na imunização de populações. Ele defende que quanto mais descentralizar, melhor, pois o público-alvo vai aumentar nas próximas fases.
 
“Muitas pessoas que receberam a 1ª dose não estão recebendo a 2ª dose. Por isso é importante que a vacinação seja descentralizada e as vacinas sejam aplicadas no posto de saúde, onde as equipes de saúde conhecem os moradores e podem fazer busca ativa para que as pessoas tomem a 1ª e a 2ª dose no tempo certo e sem burocracia. A imunização só está completa depois da 2ª dose”, explicou.
 
Outro lado
 
A Secretaria de Estado se manifestou por meio de nota na última vez em que Lúdio apontou a demora na vacinação:
 
A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) esclarece que Mato Grosso recebeu, até o momento, 618.760 doses de vacinas contra a Covid-19 e já disponibilizou às regiões 617.084 doses - o que equivale a 99,7% dos imunizantes recebidos. Cabe às gestões municipais a retirada das vacinas nos escritórios regionais, a aplicação das doses e a alimentação das informações junto ao sistema oficial do Ministério da Saúde. 
 
Já foi identificado que existe um descompasso entre a realidade da aplicação da vacina e a alimentação do sistema de vacinação com os registros oficiais. Os municípios irão intensificar o trabalho para inserir os dados no sistema do Ministério da Saúde.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet