Olhar Direto

Sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

parceria com MP e AMM

Associação irá construir dez corixos artificiais para matar a sede de animais e ajudar a combater incêndios no Pantanal

29 Jul 2021 - 10:00

Da Redação - Isabela Mercuri / Do Local - Izabel Coutinho

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Associação irá construir dez corixos artificiais para matar a sede de animais e ajudar a combater incêndios no Pantanal
Para evitar que cenas como as de 2020 se repitam neste e nos próximos anos, a Associação de Defesa do Pantanal (ADEPAN), em parceria com a Associação Mato-grossense de Municípios (AMM), construiu um ‘corixo antrópico’ – ou seja, feito pelo homem – e pretende investir em pelo menos outros quatro (e idealmente dez) com o objetivo de matar a sede dos animais e ajudar no combate ao fogo durante os períodos de estiagem.

Leia também:
Ciclista passeia no meio de dezenas de jacarés no Pantanal: "A gente pode viver em harmonia com os animais"

André Thuronyi, um dos membros da Associação, explicou que para a construção do primeiro corixo antrópico foram utilizados recursos oriundos de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo Ministério Público de Mato Grosso, no valor de R$ 77 mil. Além disso, a AMM doou o projeto, e a família Nigro, da Rede de Hoteis Mato Grosso, doou o terreno para a construção. 

“Esse projeto visa atender à necessidade premente de termos estoque de água no período de incêndio. O que nos derrotou ano passado foi a inexistência de água para os caminhões do Corpo de Bombeiros e também para os carros-pipa que foram alugados com o objetivo de colaborar na extinção do incêndio”, explicou André.


Corixo antrópico (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

Segundo Thuronyi, o corixo antrópico é um tanque feito de forma harmonizada com o meio ambiente e que também será um ponto turístico. Ele terá dois milhões de metros cúbicos de água, que deve vir de poços artesianos. “O poço artesiano alimenta o corixo antrópico, fica água para os bichos, e os bombeiros podem vir buscar água aqui nesse corixo, ou podem também ser carregados diretamente do poço artesiano e partir para os combates”, completou.

O primeiro corixo antrópico, construído com recursos do TAC do MPMT e projeto doado pela AMM. Segundo André, a esperança é de que a Adepan consiga fazer pelo menos cinco em 2021, e o ideal é que haja dez ao longo da transpantaneira, sendo um a cada quinze quilômetros.

Até agora, no entanto, falta um detalhe: saber quem vai pagar a energia elétrica para funcionar o transformador que levará a água do poço ao corixo. “Nós estamos querendo terminar esse e na esperança que nesse intervalo o Ministério Público consiga [custear os próximos]... custa apenas R$ 205 mil cada projeto desse. É muito pouco pelo muito que ele pode fazer. Para atender pelo menos o Pantanal da transpantaneira. Nós gostaríamos muito que a mesma coisa fosse feita na Estrada do Boqueirão, que é um outro acesso de um Pantanal que está um pouco mais esquecido, que é menos visível, e também achamos que deveria ter coisas desse tipo na estrada do Porto Cercado. Porque tudo isso ajudaria muito no combate futuro”, finalizou.

Espaço feito para os animais passarem
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet