Olhar Direto

Domingo, 16 de janeiro de 2022

Notícias | Cidades

oito feridos

Menina de cinco anos quebra perna ao descer por escorregador inflável durante evacuação de voo

Foto: Reprodução

Menina de cinco anos quebra perna ao descer por escorregador inflável durante evacuação de voo
Uma menina de cinco anos quebrou a perna ao descer pelo escorregador inflável durante evacuação de uma aeronave da Azul (AD 2751), com 132 passageiros, que seguia para a cidade de Guarulhos (SP), na madrugada desta quinta-feira (25), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

Leia também:
Passageiro relata desespero durante evacuação de voo da Azul em Cuiabá; pelo menos oito feridos

A fisioterapeuta e mãe da menina da vítima, Juliana Amorim Fávero, 36 anos, contou ao G1 que não houve nenhum comunicado oficial. “Nada foi falado pelos microfones. Só lembro de ver a aeromoça gritando lá na frente para todos saírem”, disse.

As saídas de emergência foram abertas e pelo menos oito pessoas ficaram feridas durante a saída. Uma mulher pulou de uma altura considerável e quebrou a perna.

Juliana estava acompanhada do marido Giovani Dalla Corte, 38 anos, junto com os filhos, um de três e a menina de cinco anos. Sentados na 18ª fileira e ao lado do motor esquerdo da aeronave, Juliana disse que não deu tempo de pensar em nada e apenas ouviu o burburinho dos passageiros aumentando.

“Ouvi pessoas dizendo ‘vai explodir! ’. Tentei não prestar atenção nisso e manter a calma para sair mais rápido do avião”, conta.

Ela acredita que a fratura na tíbia teria ocorrido quando desceu pelo escorregador. Juliana teria sentido a perna da filha presa atrás dela, agarradas em um abraço bem apertado.

Ela relata que os passageiros se distanciavam da aeronave e eram empurrados pela força do vento expelida pelo motor esquerdo. “Tinha muita gente caindo por causa disso”, diz.
 
Sem nenhum auxílio, a família de Juliana aguardou junto com os outros passageiros em um terreno ao lado da pista, no escuro. Depois de esperar por um tempo, o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e os bombeiros verificaram se todos estavam bem. “Ao toque, disseram que era uma contusão”, explica Juliana sobre quando sua filha foi atendida.
 
Depois da triagem, os passageiros caminharam da pista até o portão de desembarque, onde foram orientados a fazer o checking. Enquanto aguardava o marido, Juliana viu a filha indo ao banheiro e caiu. A menina vinha reclamando de dor nas pernas. Foi nessa hora que ela percebeu o ferimento e levou a filha ao Hospital Ortopédico.
 
A Azul informou que a aeronave teve sua decolagem abortada após a identificação de uma pane na aeronave, tendo o comandante do voo realizado o procedimento padrão previsto para esse tipo de situação. Os clientes evacuaram a aeronave por meio das saídas de emergência do avião. 

"A Azul destaca que está prestando todo o apoio necessário aos Clientes, lamenta o ocorrido e reforça que ações como essa são necessárias para garantir a segurança de suas operações", finaliza a nota.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet