Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Notícias / Política MT

Destituído da presidência do PPS, Percival Muniz critica Taques, Medeiros e Rogério Salles por "traição"

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

02 Fev 2018 - 17:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Destituído da presidência do PPS, Percival Muniz critica Taques, Medeiros e Rogério Salles por
O ex-prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (PPS) comentou sua destituição da presidência estadual do partido e não poupou críticas ao governador Pedro Taques (PSDB) e aos políticos, que segundo ele, tiveram o seu apoio e depois viraram as costas.

Leia mais
Grupo de Taques dá "rasteira" em Percival Muniz e assume controle do PPS com Marco Marrafon na presidência


Além da crítica ao governador, Muniz reprovou a falta de apoio do senador José Medeiros (PODE), de seu ex-vice-prefeito Rogério Salles (PSDB) e sua ex-secretária de Saúde Marildes Ferreira (PSD). Para o ex-prefeito, todos receberam sua ajuda e não foram leais.

“Ajudei o Pedro, para senador e governador. Não me apoiou. Deixei a vaga de suplente de senador para o [José] Medeiros, que virou senador e não me apoiou. Meu vice saiu candidato contra mim, assim como minha secretária de saúde na última hora também saiu candidata a vice contra. Os deputados que ajudei, ficaram contra. Mesmo assim perdi por 1%. E esse 1% deve ter sido por algum erro meu”, desabafou.

Muniz foi destituído pelo presidente nacional do PPS Roberto Freire nesta quinta-feira (1). O partido divulgou hoje uma resolução orgânica nomeando a comissão provisória em Mato Grosso para organizar e preparar os congressos municipais e estaduais.

Todos os nomeados por Freire estão ligados ao governador Pedro Taques. O secretário de Estado de Educação, Marco Marrafon agora é o novo presidente do partido no estado. A Comissão Provisória tem validade de 60 dias.
 
Veja os nomes da nova comissão
 

PRESIDENTE: Marco Aurélio Marrafon
1º – VICE-PRESIDENTE: Francisco Wagner L. Simplício
2º – VICE-PRESIDENTE: Werley Silva Peres
SECRETÁRIO GERAL: Valdir Adão Macagnam Jr.
1º – SECRETÁRIO GERAL: Luciana Serafim da Silva
TESOUREIRO: José Adolpho de L. A. Vieira
1º – TESOUREIRO: Jurandir Antonio Francisco

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • josé
    06 Fev 2018 às 16:40

    Tem coisa q demora mais acontece. Em 2004 em juara O percival destituiu a comissão provisoria do PPS para que o SR> Edson piovesan não fosse candidato, neste ano o Edson apoio o Oscar bezerra e foi eleito, agora ta acontecendo com ele a mesma coisa, demora mais volta.

  • Luiz
    03 Fev 2018 às 16:56

    Percival se elege a federal qualquer hora, agora esse secretariado do Taques e ele... são uma piada. Vai ser o maior VEXAME do mundo. Dá até pena.

  • Julio
    03 Fev 2018 às 16:54

    O PSDB estadual tem consciência da rejeição do Taques e os diretórios municipais tentaram dissuadi-lo a concluir o mandato e não tentar a reeleição. Entretanto, a sua falta de humildade o levará a um grande constrangimento se candidatando por um pequeno partido, perdendo no primeiro turno para o Wellington Fagundes e com o risco de NENHUM desses secretários se eleger.

  • Fábio
    03 Fev 2018 às 16:50

    Isso denuncia a falta de credibilidade do governador no próprio partido. Está consciente de que vai perder as prévias para o Leitão.

  • Indignado
    02 Fev 2018 às 21:32

    Tudo farinha do mesmo saco,mas em matéria de traição ninguém supera o taques, na verdade ele que vem superando todos os governantes passados por esse estado só que pra pior.

  • joaoderondonopolis
    02 Fev 2018 às 19:31

    Percival não ajudou Pedro Taques para governador, quando das vindas de Taques a Rondonópolis na campanha, Percival falava que estava doente e não participava de nada, Taques andava na cidade com os companheiros de última hora. Quando Taques liderava e já era considerado vencedor no primeiro turno, foi quando apareceu Percival numa reunião e última vinda de Taques a Rondonópolis. Me engana que eu gosto.

  • willian
    02 Fev 2018 às 19:09

    Você como político, já deve saber muito bem, que não se deve confiar em político. Muitos confiaram no Taques, e olha no que deu. Agora, logo você, se fazendo de santo?

  • Saulo
    02 Fev 2018 às 18:16

    Pro Taques não é novidade Isso, olha o que aconteceu com o Zeca Viana, mas um dia a casa cai.