Olhar Agro & Negócios

Domingo, 16 de junho de 2019

Notícias / Logística

Setor do transporte avalia nova greve diante silêncio do governo e baixa do frete em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

08 Mar 2017 - 13:55

Foto: Roberto Pessoa/Sindicam

Setor do transporte avalia nova greve diante silêncio do governo e baixa do frete em Mato Grosso
O setor do transporte de cargas de grão de Mato Grosso avalia a possibilidade de entrar novamente em greve, podendo a paralisação ganhar a adesão de outros segmentos do transporte. O novo bloqueio dos caminhoneiros e empresários decorreria do silêncio por parte dos governos Federal e Estadual após reuniões realizadas em janeiro, que visaram o fim do manifesto na ocasião, além do fato do frete estar apresentando queda em pleno pico de safra.
 
Segundo o representante do Movimento dos Transportadores de Carga (MTG), Gilson Baitaca, o setor do transporte de cargas de grãos em Mato Grosso já avalia uma nova greve. Ele comenta que o frete em pleno pico de safra já começa apresentar retração.

Leia mais:
- Após greve por frete em Mato Grosso, ministro Eliseu Padilha promete resposta a caminhoneiros

Caminhoneiros afirmam que greve foi ato de "desespero" e Abiove nega criar preço do frete

A tonelada entre Sapezal e Porto Velho (RO), de acordo com o Boletim Semanal do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), fechou a semana de 27 de fevereiro a 03 de março em R$ 138. Montante este 4,83% menor que na semana entre 20 e 24 de fevereiro. Já de Campo Verde para Paranaguá (PR) o recuo foi de 48,89% e a tonelada é vista a R$ 115.
 
O frete, conforme Baitaca, é apenas um dos motivos para uma nova paralisação. “Até o momento não recebemos resposta do governo federal, como prometido pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, de cada uma das demandas apresentadas em reunião realizada em janeiro”.
 
Baitaca comenta que há um “silêncio” também por parte do Governo de Mato Grosso, visto durante reunião no dia 25 de janeiro, que contou com a presença do setor produtivo e da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), o vice-governador Carlos Fávaro “prometeu” que uma a criação de uma comissão entre caminhoneiros e a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) para discutir o balizamento do valor do preço pauta do frete para que o ICMS possa ser cobrado em cima desse frete.
 
Caminhoneiros, autônomos e empresários do setor do transporte fecharam a BR-364 em Rondonópolis em dois pontos entre os dias 13 e 18 de janeiro. O movimento só foi encerrado mediante a garantia de uma reunião com os governos Federal e Estadual.
 
Crise
 
O setor do transporte de cargas, principalmente de grãos, vem passando por uma crise há três anos aproximadamente, tendo o seu “enterro do segmento” com a quebra da safra 2015/2016, onde somente entre soja e milho foram quase 9 milhões de toneladas a menos produzidas .
 
Em 2015, como acompanhado pelo Agro Olhar, os caminhoneiros em Mato Grosso chegaram entre os meses de fevereiro e março a bloquear as principais rotas de escoamento da produção de grãos. Em todo o país foram realizados manifestos em prol de melhores condições de trabalho e um frete que cubra os custos de produção.
 
O projeto de lei 528/2015 foi criado após as paralisações realizadas no primeiro semestre de 2015, aonde em Mato Grosso todas as principais rotas de escoamento da produção agropecuária com destino aos portos chegaram a ficar bloqueadas. O texto visa o estabelecimento de uma tabela de preço mínimo para o frete, que hoje não cobre os custos de operação do setor de transporte de cargas.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Anildo Antônio Bezerra
    10 Mar 2017 às 08:48

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • FABIO
    09 Mar 2017 às 16:44

    O PROBLEMA NÃO É SIMPLESMENTE VALOR DE FRETE,MAIS TAMBÉM OS AUTOS PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS,UM VERDADEIRO ASSALTO,BAIXA O PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS E PERMANECENDO O PREÇO DO FRETE FECHARÁ COM SALDO QUALQUER SEGMENTO.

  • Silvio
    09 Mar 2017 às 15:20

    Só vai dar certo se tiver união entre todos, o transporte só precisa para um setor que é o combustível, ai para o resto em apoio. Fazendo uma paralisação BRANCA, em casa nos postos de combustíveis, não precisa trancar as rodovia. Por isso disse e retorno a dizer tem que ter união da classe.

  • Antiodert
    09 Mar 2017 às 01:09

    Governo federal so ta ai pra garantir o pagamento futuro de juros a qualquer custo. O resto eles vao empurrar com a barriga.

  • SELMO DE OLIVEIRA
    08 Mar 2017 às 16:54

    uai. não era só tirar a Presidente Eleita que Melhorava?

  • samuca.
    08 Mar 2017 às 16:33

    Realmente o governo perdeu o rumo de casa. kkkk. Vote mais em 2018!

  • Leorena Savignano
    08 Mar 2017 às 14:45

    Meodeos... Quando isso vai parar... A coisa está realmente fora do controle... O governo é uma carreta desgovernada, rumo ao fundo do abismo!

Sitevip Internet