Olhar Conceito

Domingo, 23 de janeiro de 2022

Notícias | Literatura

sobre capoeira

Livro de mato-grossense passa a integrar Biblioteca do Congresso dos EUA, a maior do mundo

Foto: Divulgação

Livro de mato-grossense passa a integrar Biblioteca do Congresso dos EUA, a maior do mundo
Um livro lançado por uma professora de Mato Grosso integra, desde a semana passada, o acervo da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, maior instituição cultural do mundo, e mais antiga do país. O local abriga mais de 155 bilhões de itens, entre livros, manuscritos, jornais revistas, mapas, vídeos e gravações de áudios.

Leia também:
Escritor premiado ministra curso de poesia em Cuiabá; inscrições abertas

‘Capoeira: da Senzala à Imaterialidade’, da professora doutora Adinéia da Silva Leme, foi entregue para Igor Fazano, representante da Biblioteca do Congresso, na última semana. O livro retrata – pela primeira vez - as vivências dos mestres e a história da capoeira em Mato Grosso.

Segundo a autora, foi em sua dissertação de mestrado que ela traçou um panorama geral dos escravos, desde a vinda deles a Mato Grosso, passando pelo processo de escravidão, dominação, resistência, religiosidade até chegar a lei 10.639/03, que determina que a educação básica trabalhe a cultura afro-brasileira nas aulas. Esta é a primeira parte do livro.

Já a segunda parte da obra aborda a capoeira específica de Mato Grosso. “Ao contrário do que muita gente imagina, a capoeira não surgiu com a chegada dos primeiros escravos no Estado, no século XIX, mas sim na década de 1970. Se teve alguma prática anterior a esse período, não temos registros”, destaca Adinéia.

A professora concluiu recentemente o doutorado em ciências da educação. Para ela, ter sua obra numa renomada biblioteca é um privilégio. “Estou vivendo um sonho. É gratificante ter meu livro num local tão especial, uma biblioteca de referência mundial”, comemora.

Sua obra também passa, agora, a ser uma referência na lei 10.639/03, para os professores que querem entender como trabalhar a cultura afro-brasileira em sala de aula. “Os professores de todas as áreas – não somente de história – poderão ter uma ideia de como destrinchar o conteúdo”.

Atuando na Rede Estadual de Ensino desde 2007, a professora doutora atua no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Cesário Neto, no centro de Cuiabá, e mais mais especificamente com o exame on-line, na elaboração das questões dos exames para o ensino fundamental e médio.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet