Olhar Direto

Domingo, 15 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Quadrilha de “descuidistas” é presa pelo GCCO após tentar furtar 15 bancos

Da Redação - Max Aguiar

15 Mai 2013 - 16:00

Foto: Polícia Civil

Quadrilha de “descuidistas” é presa pelo GCCO após tentar furtar 15 bancos
Os sete “descuidistas”, integrantes de uma quadrilha especializada em furtar dinheiro de agências bancárias, aproveitando-se da distração de funcionários, foram presos na terça-feira (14), na região de Barra do Bugres (168 km ao Médio-Norte), após tentar levar malotes de mais de 15 bancos de Mato Grosso e conseguir consolidar o furto em três deles, apenas nos últimos 10 dias. Essa quadrilha age em silêncio, diferente do novo cangaço que atua usando armas de grosso calibre e pegam pessoas como reféns.

GCCO indicia 35 integrantes de quadrilha acusada de explodir caixas eletrônicos; veja nomes
GCCO faz cerco em aeroportos e rodovias para tentar encontra menina sequestrada


De acordo com a assessoria da Polícia Civil, a quadrilha foi monitorada há mais de 10 meses pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, que na segunda-feira (13), conseguiu antecipar a ação dos bandidos e alertar agências e a Polícia das cidades de Tangará da Serra e Barra do Bugres (168 e 239 km a Médio-Norte).

No mesmo dia, o grupo tentou subtrair dinheiro dos bancos de Comodoro, Sapezal, Campo Novo do Parecis e Tangará da Serra. Ao chegar a Tangará da Serra, os suspeitos perceberam a movimentação do banco e fugiram em direção a Barra do Bugres, onde foram presos nesta terça-feira (14) pela Polícia Militar em dois veículos, um Celta e um Siena.

Os suspeitos foram levados para a Delegacia da Polícia Civil de Tangará da Serra onde foram autuados em flagrante pelo delegado da Delegacia de Roubos e Furtos de Tangará da Serra, Vitor Chab Domingues, nos crimes de formação de quadrilha, furtos, tentativas de furtos e uso de documentos falsos.

O delegado chefe da Gerência de Combate ao Crime Organizado, Flávio Henrique Stringueta, que acompanha na cidade os interrogatórios, contou que o bando vinha agindo nos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “É uma prisão importante por conta do prejuízo causado, sem alarde à população, que não percebe a ação da quadrilha, ao contrário do ‘novo cangaço’”, destacou.

Policiais do GCCO confirmaram a identidade de Elenir Carvalho de Simões; Paulo Henrique Borges Carvalho, que apresentou documento em nome de André Henrique Alves, 18; Vinicius de Matos de Freitas; Igor Ferreira da Silva; Mateus Marques de Andrade, 18. Ainda está sendo averiguadas as identidades de Fernando Alves Pereira e Carlos Vinicius Martins de Andrade.

Segundo o delegado Flávio Henrique Stringueta, somente na semana passada, a quadrilha conseguiu levar dinheiro das agências de Chapada dos Guimarães, Lucas do Rio Verde e Mirassol D’Oeste. “Eles agem em sete. Entram na agência como se fossem clientes e aproveitam-se do descuido dos funcionários para chegar até a tesouraria ou áreas reservada, de onde levam dinheiro sem que sejam percebidos”, explicou.

Conforme o delegado, na semana passada a quadrilha entrou em nove agências dos municípios de Dom Aquino, Campo Verde, Chapada dos Guimarães, Lucas do Rio Verde, Colíder, Alta Floresta, Tabaporah, Peixoto de Azevedo e Matupá. Antes de chegar a Dom Aquino, a quadrilha havia estado em Pimenta Bueno, no Estado de Rondônia. O delegado informou ainda que a Polícia Civil investiga tentativas de furtos ocorridas nos meses de abril e fevereiro, na mesma modalidade delituosa.

Em Chapada dos Guimarães, a quadrilha levou R$ 90 mil. As agências de Lucas do rio Verde e Mirassol D’ Oeste não informaram o montante furtado.

Segundo as investigações, a quadrilha não usa armas e nem emprega violência nas açoes e quando alguém é flagrado em algum ambiente de acesso restrito, dentro do banco, desconversa dizendo que se perdeu ou está procurando o banheiro.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet