Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de julho de 2021

Notícias | Cidades

GUIA DO OD

Veja rotas alternativas para tentar evitar trânsito com fechamento da avenida Jurumirim; fotos e vídeos

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Veja rotas alternativas para tentar evitar trânsito com fechamento da avenida Jurumirim;  fotos e vídeos
Começou na manhã desta quarta-feira (09) a interdição de parte da trincheira Jurumirim, localizada na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, para o início dos trabalhos de recuperação e restauração. Olhar Direto esteve no local para verificar a sinalização das rotas alternativas e as condições das vias para que sejam utilizadas pelos condutores.

Leia mais:
Governo interdita Trincheira Jurumirim nesta quarta-feira; motoristas devem seguir rotas alternativas
 
Neste momento, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) decidiu por fechar a parte interna da trincheira, deixando aberta apenas os fluxos nas vias marginais. Sendo assim, quem deseja seguir pela avenida Miguel Sutil, pode fazê-lo pelas alças laterais. Mesmo fora do horário de pico, já é possível notar congestionamento na chegada das rotatórias que dão acesso às avenidas Gonçalo Antunes de Barros e Dante Martins de Oliveira.



Porém, quem deseja evitar o trânsito nas vias marginais da trincheira, poderá optar por uma rota alternativa, que – fora do horário de pico – se mostrou bem mais viável e fluída.
 
A primeira delas é no sentido a avenida Fernando Corrêa da Costa. Quem desejar seguí-la, deve vir pela avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA) e subir pela rua paralela, que daria acesso à Miguel Sutil. Quem fizer este trajeto, é obrigado a seguir pela rua esmeralda e depois ir até a rua Prof. Alfredo Monteiro.


 
Para seguir até a Fernando Corrêa, através desta rota, a Secretaria de Mobilidade Urbana sugere que o motorista siga pelo seguinte caminho: rua Prof. Alfredo Monteiro → rua Antônio Batista Belém → rua São Francisco → atravessar a avenida João Gomes Sobrinho e entrar na avenida João Eugênio Gonçalves Pinheiro → acessar a avenida Des. Antônio Quirino de Araújo → rua ministro Fernando Costa  → rua Dr. Euclídes Mota → rua dois → avenida Miguel Sutil.
 
Neste trajeto, as pessoas também podem seguir pela rua João Gomes Sobrinho, caso não tenham a avenida Fernando Corrêa da Costa como destino.


 
Já quem vem pela avenida Miguel Sutil, com sentido à Rodoviária de Cuiabá, terá que seguir pelo seguinte caminho: rua Boa Vista → rua Sete de Janeiro → atravessar a avenida Governador Dante Martins de Oliveira e entrar na rua Benedito Camargo → rua da Saudade → rua Gonçalves Antunes de Barros → rua da Cereja → rua Ouro Fino → rua das Orquídeas → avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA).
 
Neste trajeto, as pessoas também podem seguir pela avenida Governador Dante Martins de Oliveira, rua nove de janeiro e rua Gonçalves Antunes Barros, caso não tenham a avenida do CPA ou a região da Rodoviária como destino.
 
A pasta de mobilidade informa que o trajeto é "alternativo" e não um "desvio obrigatório". Todo o caminho está sinalizado com placas laranjas, que dão aos motoristas as direções necessárias para que cheguem tranquilamente aos seus destinos. Para conferir as rotas completas clique AQUI.

"Os cuiabanos mesmo podem procurar outras alternativas que fique melhor a cada um. Os horários complicados são das 7h às 8h às 17:30 h até às 19h30. hoje flui lento, mas de forma satisfatória, a gente pede paciência e a obra se faz necessária", explicou o secretário de Mobilidade Urbana de Cuiabá, Juares Samaniego. 


 
Durante o período de obra, os agentes de trânsito estarão nos principais pontos das rotas alternativas para orientar os motoristas e tentar minimizar o impacto no trânsito com o fechamento da trincheira.
 
Durante a visita a alguns destes pontos, a reportagem notou que todas as vias estão em boas condições de trafegabilidade e bem sinalizadas.
 
O período estimado de fechamento da trincheira Jurumirim é de sete meses para que seja corrigido um problema no sistema de drenagem de águas pluviais. A previsão é que, somente na parte inferior, deva ser retirado cerca de 1,5 metro de solo e substituído por outro de melhor qualidade.
 
Essa obra foi orçada em R$ 50,5 milhões e estava no pacote das grandes obras de mobilidade que seriam entregues em 2014 - antes dos jogos da Copa do Mundo - a Capital foi uma das subsedes.







Comentários no Facebook

Sitevip Internet