Olhar Direto

Sábado, 25 de junho de 2022

Notícias | Política MT

Ex-ministro preso

“MT tem muito ouro, e ouro é o que esse pastor Gilmar gostava de receber”, diz Barranco sobre possível desdobramento de operação da PF

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

“MT tem muito ouro, e ouro é o que esse pastor Gilmar gostava de receber”, diz Barranco sobre possível desdobramento de operação da PF
O deputado estadual Valdir Barranco, presidente do PT em Mato Grosso, afirmou que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro tem direito a ampla defesa e só pode ser considerado culpado após cumprimento de decisão com sentença condenatória em última instância. No entanto, não negou a desconfiança de que haja prefeitos de Mato Grosso envolvidos no esquema investigado pela Polícia Federal.

Leia também:
Ex-ministro da Educação é preso em operação da PF que investiga corrupção; pastores são alvos

“Não sei quantos prefeitos tiveram esse contato com o pastor Gilmar. Mato Grosso tem muito ouro, e ouro é o que esse pastor Gilmar gostava de receber em troca de fazer essa ponte com o Milton Ribeiro. Lamento muito, acho que a educação e a saúde foram dois ministérios que não vão deixar saudades nesse governo. A educação não teve um ministro que pudesse se sobressair”, argumentou o parlamentar.

O ex-ministro Milton Ribeiro  é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC. Os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também são alvos da operação deflagrada pela PF nesta quarta. Eles são investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação de recursos do Ministério da Educação.

Para Barranco, o que aconteceu no ministério foi muito grave. “Utilizar recursos do FNDE para corrupção... saúde e educação são sagrados na administração pública. São políticas sociais que só passaram a existir de fato após a Constituição de 88. Então é algo muito grave, que carece de investigação. Acredito nas instituições, acho que a Polícia Federal vai investigar, o Ministério Público vai atuar”, disse.

“É grave e é muito bom que as instituições, mesmo em tempo tão severos, de perseguição, de um trabalho nas redes sociais para desmoralizar as instituições públicas, é bom que elas estejam funcionando”, completou o presidente do PT.

Em março, a imprensa divulgou áudio de Ribeiro afirmando que o presidente Jair Bolsonaro havia pedido a ele que os municípios indicados pelos dois pastores recebessem prioridade na liberação de recursos. Prefeitos disseram em depoimento que eles exigiram propina.

Nesta quarta-feira (22), após a prisão, o presidente afirmou: “O que eu disse pra você? Eu tenho 23 ministros, mais uma centena de secretários, mais de 20.000 cargos em comissão. Se alguém faz algo de errado, pô, vai botar a culpa em mim? Pô, 20.000 pessoas. Logicamente, a minha responsabilidade é afastar e colaborar com a investigação”, disse.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet