Agro Olhar

Terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Notícias / Pecuária

Famato pede revisão da pauta do gado diante queda de preço na arroba provocada pela Operação da PF

Da Redação - Viviane Petroli

06 Abr 2017 - 10:40

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Famato pede revisão da pauta do gado diante queda de preço na arroba provocada pela Operação da PF
A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) solicitou para o Governo de Mato Grosso revisão do preço de pauta da pecuária de corte. Segundo a entidade, o valor precisa ser revisto com "urgência" em virtude das oscilações de preços de comercialização dos bovinos após a Operação Carne Fraca, deflagrada em 17 de março pela Polícia Federal.
 
O preço de pauta de corte estabelecido pela Sefaz consta na portaria nº 049/2017, publicada no dia 20 de março. A Famato pontua que na portaria constam preços baseados em categorias que não traduzem a realidade dos valores de mercado.

Leia mais:
Suinocultores pedem redução no preço de pauta do suíno vivo, após aumento de 46%
 
O preço de pauta é o valor de referência para o cálculo do ICMS incidente sobre as negociações.
 
De acordo com a Famato, hoje a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) valora a arroba da vaca gorda em Mato Grosso em R$ 137,50 a arroba, enquanto o indicador do Instituto Mato-grossense de Economia agropecuária (Imea) atingiu R$ 120,06 a arroba no último dia 03 de abril, o que significa uma diferença de 14,53% na comparação entre os mesmos.
 
"Depois da operação Carne Fraca, a necessidade de rever o preço de pauta é mais urgente", pontua o vice-presidente da Famato, Francisco Pugliesi de Castro.
 
Pugliesi lembra que Mato Grosso conta hoje com sete frigoríficos com atividades suspensas e dando férias coletivas aos seus funcionários. "O preço da arroba do boi diminuiu mais ainda e o pecuarista continua refém da indústria. Para regular o mercado, é necessária a adequação da lista de preços mínimos fixados na portaria, pois eles estão muito além do que está sendo praticado pelo mercado".
 
Nesta semana suinocultores mato-grossenses também solicitaram ao Governo de Mato Grosso redução do preço de pauta do suíno vivo. No dia 20 de março o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pagos pelos produtores teve reajuste de 46% passando de R$ 3,20 para R$ 4,74 e, conforme a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), prejuízos já são registrados na atividade.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet