Olhar Conceito

Sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Notícias / Comportamento

Sheyla Christina

Cuiabano que soma milhões de visualizações no TikTok sempre gostou dos holofotes, mas não esperava sucesso de personagem

Da Redação - José Lucas Salvani

04 Jul 2021 - 07:25

Foto: Reprodução

Cuiabano que soma milhões de visualizações no TikTok sempre gostou dos holofotes, mas não esperava sucesso de personagem
Cuiabano, Fábio Marxx se viu completamente isolado em casa e se rendeu a um dos aplicativos que fizeram mais sucesso durante a pandemia, o TikTok. Fábio começou a criar vídeos e, após realizar uma enquete com seus seguidores, que eram pouco se comparados com hoje, criaram Sheyla Christina, ou simplesmente Shey. Com o sucesso, Fábio soma milhões de visualizações, 325 mil seguidores no Instagram e 477 mil no TikTok.

Leia também:
Acho importante um jovem preto e gay estar onde estou, afirma vencedor de reality da Skol Beats

Fábio sempre gostou dos holofotes, mas confessa que não imaginava que Sheyla se tornaria um sucesso. “Eu sempre gostei dos holofotes e já criava alguns vídeos para o TikTok. Mas antes disso, em 2015, eu também já tinha um canal no YouTube. Acho que eu sempre quis esse reconhecimento, mas ele chegou de forma inesperada. De verdade, não achei que Sheyla seria o sucesso que ela se tornou hoje lá no início”, conta ao Olhar Conceito.

Leia a entrevista completa.

Olhar Conceito: Conta pra mim, como surgiu a ideia de criar a personagem Sheyla Christina?

Fábio: A Shey surgiu durante a pandemia, quando me vi completamente isolado em casa, com projetos e tudo mais, porém muito parado e monótono. Como já fazia alguns vídeos para o TikTok decidi criar um projeto e lançar um vídeo por dia no Instagram. No início Sheyla não existia, mas o pessoal começou a perguntar quem era essa personagem que aparecia em meus vídeos, abri uma enquete e junto com meus seguidores, que na época eram poucos, e criamos a Sheyla.

Olhar Conceito: Quando você começou a publicar seus primeiros vídeos, você já esperava ter a repercussão que está tendo ou não alcançava sucesso algum com a personagem? Se não me engano, você já estava no TikTok antes disso.

Fábio: Eu sempre gostei dos holofotes e já criava alguns vídeos para o TikTok. Mas antes disso, em 2015, eu também já tinha um canal no YouTube. Acho que eu sempre quis esse reconhecimento, mas ele chegou de forma inesperada. De verdade, não achei que Sheyla seria o sucesso que ela se tornou hoje lá no início.

Olhar Conceito: Geralmente quando alguém viraliza na internet, as pessoas tendem a ficar ansiosas com o próximo conteúdo publicado, para saber se vai ser tão bom quanto o primeiro ou até mesmo superior. Você sentiu alguma pressão enquanto publicava os vídeos como Sheyla Christina?

Fábio: Senti sim, porém o estouro de Sheyla não veio do dia para a noite e isso fez com que ela crescesse de forma orgânica e coerente. Hoje em dia eu sei que Shey não é mais um meme passageiro e que a gente pode se reinventar a cada vídeo falando de arquitetura ou de qualquer outro assunto.

Olhar Conceito: Você é cuiabano, mas mora no Paraná. Sei que você se mudou para este estado por volta dos 17 anos, certo? Como você foi parar no Paraná?

Fábio: Eu vim para Curitiba completamente sem saber o que me aguardava, vim em busca de independência  e eu não sabia se conseguiria. Meu pai morava aqui perto, no litoral, por isso escolhi aqui. Mas poderia ser qualquer lugar, eu só queria sair de onde eu estava. Curitiba me abraçou em alguns momentos e me mastigou em outros, me fez perceber o quanto eu amo ser cuiabano e me fez criar raízes aqui também. Agora eu olho para trás e consigo enxergar que tudo que eu passei foi muito necessário, pois me tornou o ser humano que sou hoje.

Olhar Conceito: Agora vamos falar sobre o Manda Jobs. Para participar, houve todo um processo de inscrição pelas redes sociais da Beats. Como foi para você quando descobriu que foi um dos selecionados para participar do reality? Antes de ser selecionado, já estava confiante com essa possibilidade?

Fábio: Eu não estava nada confiante, eu entrei pensando que poderia sair no primeiro episódio, mas aos poucos fui criando expectativas. O mais importante para mim era conseguir fazer meu trabalho, chegar mais longe  e, através das redes da Beats - que são tão potentes - ser reconhecido pela Patroa.

Olhar Conceito: Assistindo aos episódios, vi que a gravação dos participantes foi diretamente de casa, por conta da pandemia do novo coronavírus. Como foi gravar de forma distante? Sentiu alguma dificuldade ao longo da gravação dos episódios?

Fábio: Eu acho que gravar em casa foi uma vantagem e que pode ter me ajudado. A Sheyla nasceu na pandemia, e dentro de casa eu tenho total noção do que eu posso ou não fazer com ela. Seguir esse modelo me deixou muito mais confortável e confiante pois tinha todas as minhas ferramentas necessárias à mão.

Olhar Conceito: O Manda Jobs é um reality totalmente pensado para as redes sociais, tanto que o seu formato de tela já é pensado para os smartphones. Você acredita que a nossa forma de consumir conteúdo realmente mudou, talvez influenciado bastante pelo Tik tok, que exige segurar o celular sempre na vertical, ou ainda está em processo de mudança?

Fábio: Acredito plenamente nessa mudança. Estamos cada vez mais pensando na vertical. Todos os meus conteúdos são assim, inclusive, estou com planos de fazer uma websérie e ele está sendo todo pensado nesse formato.

Olhar Conceito: Vi em seu Instagram você falando sobre a Anitta ser sua nova patroa, agora que você é o mais novo contratado da Beats. Como você enxerga esta nova oportunidade em sua vida? Como você espera conseguir contribuir com a Beats daqui pra frente?

Fábio: Acho que é muito importante um jovem, preto, cuiabano, que saiu do Pedra 90 e que foi negligenciado quando morava lá, estar onde eu estou. E tudo isso sendo gay e drag. Eu sou uma pessoa muito criativa, vou levar essa minha criatividade ao limite e dar todo meu potencial para realmente fazer a diferença. O maior legado que eu posso deixar na marca é a minha essência e minha história. A gente tem que aprender a valorizar quem somos, de onde viemos e saber que tudo que a gente passa nos torna especiais. Eu tive que sair de casa para perceber que não existe lugar melhor que o nosso lar. E ele pode estar em qualquer lugar é isso é lindo de se ver.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet