Olhar Direto

Quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Riva fala em oposição coerente, mas libera bancada do PSD para apoiar ‘projetos de interesse do Estado’

Da Redação - Ronaldo Pacheco

13 Out 2014 - 11:30

Foto: Maurício Barbant / AL-MT

Secretário-geral do partido, José Riva garante que o PSD vai fazer

Secretário-geral do partido, José Riva garante que o PSD vai fazer

O deputado estadual José Geraldo Riva (PSD), presidente da Assembleia Legislativa, afirmou que os quatro deputados estaduais eleitos pelo PSD, em 5 de outubro, vão fazer oposição coerente ao governador José Pedro Taques (PDT), mas estão liberados para votar os projetos que considerarem “de interesse do Estado”.   
 
“O PSD vai ser oposição, sim, com coerência, para ajudar Mato Grosso. Vamos cobrar o cumprimento das propostas feitas na campanha, obviamente’, alertou ele. “Todavia, vamos apoiar toda e qualquer iniciativa que o governador Pedro Taques tiver em favor do nosso Estado, como não poderia ser diferente. O nosso partido não vai atrapalhar em nada, pelo contrário, vai contribuir”, garantiu José Riva.
 
Além de sua filha Janaina Riva, a mais votada, o PSD também elegeu Walter Rabelo Júnior, José Domingos e Pedro Satélite. É a primeira manifestação de Riva, após a derrota do grupo político nas eleições para o governo do Estado. Ele cobrou coerência dos deputados em prol dos interesses de Mato Grosso. 
 
Secretário-geral do PSD, José Riva observa que a legenda social democrata  vai apoiar todas as iniciativas do próximo chefe do Poder Executivo que sejam para contribuir com a melhoria do Estado.
 
Riva argumentou que a sociedade decidiu colocar o PSD na oposição, mas os parlamentares terão autonomia para atuar na Assembleia Legislativa. “A população elegeu quatro deputados do PSD para fazer oposição coerente, séria. Não queremos fazer diferente”, prometeu ele.
 
“Em que pese, os nossos deputados tenham autonomia para atuar aqui, a recomendação do partido é para uma oposição coerente”, analisou o presidente da Assembleia.
 
O PSD disputou a eleição para o governo do Estado primeiramente com o próprio Riva, que teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mantido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Posteriormente, o partido lançou a sua esposa, Janete Riva para disputar o Palácio Paiaguás, faltando 20 dias para o pleito eleitoral.
 
“Quero cumprimentar a Janete, que foi uma gigante, guerreira. Com apenas 20 dias de campanha, com todas as dificuldades estruturais, políticas, com muitos fatores contrários, chegou a quase 10% dos votos”, afirmou ele.
 
“O resultado foi uma grande vitória. Só de pensar que nesse curto espaço de tempo, tivemos o sequestro dos pilotos [dia 20 de setembro, durante campanha eleitoral em Pontes e Lacerda], onde paramos a campanha naquele final de semana. Janete mostrou para o Estado que a gente não faz campanha só para ganhar, nosso objetivo era encerrar a campanha com dignidade, pelo menos tentar provocar o segundo turno, mas as vozes das ruas queriam a eleição do Pedro Taques e nós respeitamos”, ponderou Riva.
 
O momento é de análise das eleições, segundo Riva. “Cabe a nós, debruçarmos sobre o resultado das eleições, fazer uma reflexão, porque tem muito a ver com os movimentos sociais que ocorreram nesse país. Naquela época, já tínhamos a clara demonstração de como seria o voto nessas eleições”, opinou.
 
Com mais de 20 anos de vida pública, Riva está encerrando o seu último mandato de deputado estadual. Reiterou que decidiu ingressar na disputa para o governo do Estado, na intenção de provocar um debate público com os candidatos e a sociedade.
 
“Quando coloquei minha candidatura, foi para mostrar para esse Estado que não sou bandido, que não sou ladrão, e que queria fazer um enfrentamento público, como fiz. Foram dias maravilhosos de campanha, com todas as dificuldades, pude ir ao povo, mostrar as minhas ideias e propostas, e reforçar que só tenho um temor: a Deus, e não são ataques rasteiros, sórdidos e sujos que recebo todos os dias”, disparou.
 
O deputado estadual agradeceu a militância, aos partidos que participaram da coligação “Viva Mato Grosso”, em seu nome e por Janete Riva. “Agradeço a todos os companheiros, que insistentemente, acreditaram no projeto, mesmo quando sabiam que não íamos vencer, mas mesmo assim, ficaram até o final conosco”, concluiu.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet